NOTÍCIAS

Alumínio – Brasil precisaria investir R$ 63 bilhões até 2025

25 de abril de 2012

rnA indústria brasileira do alumínio terá que investir R$ 63 bilhões para atender ao crescimento projetado do consumo até 2025, que deve chegar a 4,5 milhões de toneladas. A afirmação foi f

rn

A indústria brasileira do alumínio terá que investir R$ 63 bilhões para atender ao crescimento projetado do consumo até 2025, que deve chegar a 4,5 milhões de toneladas. A afirmação foi feita pelo presidente da Abal, Adjarma Azevedo, durante a abertura do Congresso Internacional do Alumínio, que se realiza em São Paulo de 24 a 26 de abril, juntamente com a Expoalumínio 2012 e o XI Seminário Internacional da Reciclagem do Alumínio, promovidos pela Reed Exhibitions e Abal. 

rn

Segundo Adjarma, o consumo doméstico do metal registrou crescimento médio anual de 9,8% durante os últimos cinco anos, puxado pelo aumento de renda da população, alcançando 1,5 milhão de toneladas, o que coloca o Brasil entre os dez maiores consumidores de alumínio no mundo. 

rn

Porém, mesmo com o aumento do consumo o Brasil ainda fica atrás de muitos países, em termos de consumo per capita do metal, já que o brasileiro consumiu apenas 4,3 kg em 2011, enquanto os EUA, que ocupou o topo da lista, teve um consumo per capita de 31,3 kg, ou quase oito vezes mais que o Brasil. Para atingir a capacidade atual, de 1,44 milhão de toneladas de metal primário, a indústria investiu cerca de R$ 30 bilhões nos últimos 20 anos. Para o presidente da Abal, a necessidade de investimentos em aumento de capacidade representa um grande desafio para a indústria, que está vivendo um momento difícil, devido aos elevados custos de produção – particularmente a energia – e o aumento das importações, que somaram US$ 1,66 bilhão em 2011, contra US$ 1,17 bilhão em 2010. Atualmente, segundo Adjarma, a energia representa cerca de 50% dos custos de produção do alumínio primário. “Os altos custos de produção e as importações podem desestruturar a indústria brasileira do alumínio, provocando a sua obsolescência, e colocando em risco 250 mil postos de trabalho diretos”, sentenciou o dirigente. 

rn

 

Fonte: Brasil Mineral

Compartilhe:

LEIA TAMBÉM



Mineração Usiminas adota nova tecnologia para dispor rejeitos

26 de junho de 2018

A Mineração Usiminas (Musa) protocolou na Superintendência Regional de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Supram) o pedido de licenciamento ambiental…

LEIA MAIS

Minério mantém alta

5 de dezembro de 2017

Em sua quinta alta consecutiva, o minério de ferro atingiu o maior valor desde 14 de setembro no mercado à…

LEIA MAIS

Gerdau apoia workshop do projeto Gustavo Penna 73/23

19 de novembro de 2018

Hoje e amanhã (19 e 20 de novembro), a Escola de Arquitetura e Urbanismo da PUC Minas – Poços de…

LEIA MAIS