NOTÍCIAS

ANGLO AMERICAN AVALIA EXPANSÃO DO SISTEMA MINAS-RIO

29 de fevereiro de 2012

rnJazidas estão sendo reavaliadas.rn A Anglo American confirmou, conforme adiantou o Diário do Comércio, que estuda a expansão do Projeto Minas-Rio. Os estudos, segundo a mineradora, começaram em 2011 e de

rn

Jazidas estão sendo reavaliadas.

rn

 A Anglo American confirmou, conforme adiantou o Diário do Comércio, que estuda a expansão do Projeto Minas-Rio. Os estudos, segundo a mineradora, começaram em 2011 e devem ser concluídos no final deste ano. A eventual ampliação do sistema, que já é o maior aporte da empresa no mundo, com expressivo investimento de US$ 5,2 bilhões, pode injetar ainda mais recursos na economia do Estado. 

rn

 Em nota, a Anglo explica que a confirmação de reservas da ordem de 5,8 bilhões de toneladas de minério serviu como referência para “os estudos  de pré-viabilidade de expansão do Projeto Minas-Rio”. 

rn

 “A conclusão dos estudos de pré-viabilidade é uma das várias etapas que os projetos do grupo cumprem para a avaliação e aprovação no Conselho Administrativo”, acrescenta a empresa no documento. 

rn

 A mineradora destaca ainda que “seu foco principal, neste momento, é a entrega da primeira fase do Minas-Rio no segundo semestre de 2013”. O sistema é um projeto integrado para a produção de minério de ferro que prevê uma série de operações em Minas Gerais. O insumo será extraído em um ativo localizado entre Conceição do Mato Dentro e Alvorada de Minas (Médio Espinhaço), onde também está sendo erguida uma planta de beneficiamento. 

rn

 A produção será levada por um mineroduto de 525 quilômetros de extensão, entre o complexo mineiro e o Porto do Açu, em São João da Barra (RJ), onde a mineradora tem participação de 49%, em parceria com a LLX, do grupo EBX, do empresário mineiro Eike Batista. Até o momento, cerca de 200 quilômetros do duto já estão prontos. 

rn

 Embora a Anglo não detalhe a eventual ampliação, uma fonte ligada à mineradora explica que a ideia é triplicar a capacidade de produção do Minas-Rio, projetado originalmente para processar 26,5 milhões de toneladas de minério de ferro. A expansão seria feita em duas etapas, uma inicial, onde a capacidade seria dobrada e uma fase final, onde a produção chegaria ao triplo da original. Também existiria a possibilidade de construção de um novo mineroduto. 

rn

Reservas 

rn

Em agosto de 2011, o chief operations officer (COO) da companhia, Carlos Gonzales, afirmou à reportagem que as expectativas da empresa eram de que as reservas poderiam ser maiores que os 5,8 bilhões de toneladas de minério confirmadas até o momento. Com isso, o tempo de exploração também poderia ser maior que os 20 anos garantidos com os recursos já medidos.  Minas ficará com cerca de US$ 3,6 bilhões do total dos aportes confirmados até agora para colocar o sistema em operação (US$ 5,2 bilhões), conforme já informado. Os recursos serão gastos com fornecedores mineiros na compra de insumos e serviços vinculados ao mega empreendimento. 

rn

 O sistema Minas-Rio foi adquirido pela Anglo da MMX Mineração e Metálicos S/A, de Eike Batista, em agosto de 2008, em uma transação que girou R$ 5,4 bilhões. De acordo com informações da mineradora, o índice de nacionalização do projeto chega a 79% do total do investimento. 

rn

 O projeto viabilizará a produção de itabiritos com teor de ferro de 68%, o que permitirá à Anglo atingir uma das produções com qualidade semelhante à de grandes  players mundiais, considerando a Vale S/A, a BHP Billiton e a Rio Tinto, embora, em volume, a competitividade ainda não seja equiparada. 

rn

 

Fonte: Diário do Comércio

Compartilhe:

LEIA TAMBÉM



MINÉRIO DE FERRO: Preço tem leve alta no mercado futuro

1 de novembro de 2017

O contrato mais negociado no mercado futuro de minério de ferro, na China, com vencimento em janeiro de 2018, passou de 428 para 429,5 iuanes, ou US$ 65,09 a tonelada, de acordo com o câmbio.

LEIA MAIS

Royalty: mineradoras recolhem mais CFEM em 2018

5 de abril de 2018

A arrecadação da Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (CFEM), considerada o royalty da mineração, totalizou R$ 211 milhões no mês…

LEIA MAIS

Cazaquistão recebe este ano o World Mining Congress

16 de abril de 2018

Com uma gama diversificada de commodities minerais, o Cazaquistão é o maior produtor mundial de urânio, o segundo maior de cromita e…

LEIA MAIS