NOTÍCIAS

ANP credencia CPRM a realizar atividades de pesquisa, desenvolvimento e inovação

21 de julho de 2017

O credenciamento habilita a CPRM a realizar atividades de pesquisas com recursos provenientes da cláusula de Investimento em Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação

A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Combustíveis (ANP) credenciou o Serviço Geológico do Brasil (CPRM), como unidade de pesquisa, habilitando a instituição, a realizar atividades de pesquisas com recursos provenientes da cláusula de Investimento em Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação, presente nos contratos para exploração de petróleo e gás natural, em campos petrolíferos superprodutivos.
 
“O credenciamento é o reconhecimento formal de que nossa empresa atua em áreas de relevante interesse para o setor e que possui infraestrutura e condições técnicas e operacionais adequadas para o desempenho das atividades de pesquisa”, explica Eduardo Ledsham, diretor-presidente da CPRM.
 
Carlos Ganade, chefe da Divisão de Geodinâmica da CPRM e coordenador das Linhas de Pesquisa, explica que o credenciamento da ANP permite a CPRM realizar estudos nas linhas de: Tectônica Continental e Análise de Bacias, Geodinâmica do Atlântico Sul e Equatorial, Geodiversidade e Meio Ambiente. “Esse credenciamento vai permitir que a CPRM avance nas área de Ciência & Tecnologia, nos temas relacionados às linhas de pesquisa”, afirma.
 
A cláusula de investimentos em pesquisa, desenvolvimento e inovação (Cláusula de PD&I) constante dos contratos para exploração, desenvolvimento e produção de petróleo e gás natural tem como objetivo estimular a pesquisa e a adoção de novas tecnologias para o setor. Nos contratos de concessão, a cláusula de PD&I estabelece que os concessionários devem realizar despesas qualificadas como pesquisa e desenvolvimento em valor correspondente a 1% (um por cento) da receita bruta da produção dos campos que pagam Participação Especial.
 
Já nos contratos de partilha de produção e de cessão onerosa, o valor da obrigação corresponde a, respectivamente, 1% (um por cento) e 0,5% (meio por cento) da receita bruta anual dos campos pertencentes aos blocos detalhados e delimitados nos respectivos contratos. A ANP é responsável pela análise, aprovação, acompanhamento e fiscalização da aplicação dos recursos oriundos da cláusula de PD&I.
 
Saiba mais em: www.anp.gov.br
Compartilhe:

LEIA TAMBÉM



Votorantim Cimentos apoia projeto de resgate histórico-cultural em Corumbá (MS)

17 de dezembro de 2018

Projeto “Todo Lugar tem uma História para Contar”, do Museu da Pessoa, reuniu histórias de vida dos moradores que impulsionou…

LEIA MAIS

AngloGold Ashanti aprimora frota de subsolo

14 de janeiro de 2019

Dois novos jumbos, com investimento de R$ 10 milhões, foram adquiridos para operações de Minas Gerais Cerca de R$ 10…

LEIA MAIS

5 dicas para manutenção eficaz em mineradoras

3 de dezembro de 2018

Manter o maquinário em bom estado de funcionamento é um dos maiores desafios das mineradoras. Instalados em ambientes extremos e…

LEIA MAIS