NOTÍCIAS

ArcelorMittal Brasil divulga resultados financeiros de 2017

23 de abril de 2018

A ArcelorMittal Brasil divulgou hoje (20/04) as demonstrações financeiras do ano de 2017. A empresa vem concentrando seus esforços no aumento da produtividade das operações para ser ainda mais competitiva. No ano, a empresa alcançou um resultado operacional consolidado (EBITDA) de R$ 2,55 bilhões, alta de 6,8% se comparado a igual período do ano anterior. O volume de vendas se manteve estável e atingiu 9,7 milhões de toneladas. O mercado externo representou 51% desse total e o mercado interno, 49%. A companhia exportou o equivalente a R$ 7,8 bilhões, valor 22% superior em relação a 2016 e correspondente a 38% da receita total de 2017, tornando-se a sexta maior exportadora brasileira no ano.

A ArcelorMittal Brasil vem trabalhando também na otimização dos custos, dos preços de insumos e matérias-primas, em investimentos estratégicos e no desenvolvimento de produtos e soluções com alto valor agregado, qualificando ainda mais o portfólio de produtos oferecidos ao mercado, notadamente para a indústria automotiva, construção civil, óleo e gás.  A produção de aço chegou a 10 milhões de toneladas. Já a receita líquida consolidada atingiu R$ 20,32 bilhões, aumento de 17,8% na comparação com 2016 e a margem EBITDA sobre a receita líquida consolidada ficou em 13%.

O investimento consolidado total da ArcelorMittal Brasil em 2017 foi de aproximadamente R$ 795 milhões. Os recursos foram destinados a diversos projetos, voltados principalmente para a manutenção da capacidade produtiva, melhoria e inovação de processos. No segmento de Aços Longos, o principal investimento foi a reforma do Alto-Forno da unidade de João Monlevade. No segmento de Aços Planos, a unidade de Tubarão concluiu a instalação do Gas Cleaning Bag Filter no processo de sinterização. Inaugurado em fevereiro deste ano, o equipamento – considerado pela Comunidade Europeia como a melhor solução disponível na atualidade para a redução de emissões de material particulado na sinterização – faz parte de um robusto plano de investimentos da ordem de R$ 400 milhões que a companhia desembolsa desde 2014 para aprimorar seu sistema de controle ambiental.

O resultado contábil foi impactado fortemente em razão do “impairment”, ajuste contábil de redução ao valor recuperável de ativos. Com base nas análises dos fluxos de caixa descontados, preparados de acordo com a projeção orçamentária aprovada pela Administração, a companhia reduziu o valor de realização do ágio em R$ 497 milhões em 31 de dezembro de 2017 e, desta forma, contabilizou lucro líquido de R$ 475 mil no período.

“Prosseguimos no processo de busca contínua da melhoria operacional e também avançamos de forma significativa na aplicação das vertentes tecnológicas da Indústria 4.0, desenvolvendo provas de conceitos para comprovar o valor das tecnologias emergentes, como computação em nuvem, impressão 3D, soluções analíticas, visão computacional e drones. Várias iniciativas foram implantadas, propiciando ganhos de produtividade, custo e eficiência nos processos de negócio”,  afirma Benjamin Baptista Filho, presidente da ArcelorMittal Brasil e CEO ArcelorMittal Aços Planos América do Sul.

Um dos principais destaques do ano foi a assinatura do acordo com o grupo Votorantim para a integração dos negócios do segmento de Aços Longos com a Votorantim Siderurgia, que passa a ser subsidiária da ArcelorMittal Brasil. A operação foi aprovada pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e o fechamento da operação ocorreu em 1º de abril de 2018.

“A compra da Votorantim Siderurgia é estratégica para nós e demonstra a confiança do grupo ArcelorMittal no país e na recuperação da economia. A operação reforça o papel do Brasil como importante vetor de crescimento do Grupo na América Latina. E isso nos orgulha muito, pois com a aquisição nos tornamos a maior produtora de aços longos do País”, afirma Jefferson De Paula, membro do Comitê Executivo do grupo ArcelorMittal e CEO ArcelorMittal Aços Longos Américas do Sul, Central e Caribe.

Compartilhe:

LEIA TAMBÉM



Royalty: mineradoras recolhem mais CFEM em 2018

5 de abril de 2018

A arrecadação da Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (CFEM), considerada o royalty da mineração, totalizou R$ 211 milhões no mês…

LEIA MAIS

Alubar prioriza fornecedores do Pará

10 de abril de 2018

Em 2017, a maior parte dos investimentos da Alubar com compras e serviços foi aplicada no Pará. A fábrica, líder…

LEIA MAIS

MINÉRIO DE FERRO: Preço tem leve alta no mercado futuro

1 de novembro de 2017

O contrato mais negociado no mercado futuro de minério de ferro, na China, com vencimento em janeiro de 2018, passou de 428 para 429,5 iuanes, ou US$ 65,09 a tonelada, de acordo com o câmbio.

LEIA MAIS