NOTÍCIAS

Balanço mostra avanços nos primeiros meses de atuação da Seicom

23 de julho de 2012

rnUm relatório elaborado pelas cinco diretorias da Secretaria de Estado de Indústria, Comércio e Mineração(Seicom) avaliou as principais ações realizadas após a recriação do &

rn

Um relatório elaborado pelas cinco diretorias da Secretaria de Estado de Indústria, Comércio e Mineração(Seicom) avaliou as principais ações realizadas após a recriação do órgão pelo atual governo. Nas 25 áreas estratégicas estabelecidas pelo Executivo, a Seicom é responsável por sete objetivos específicos.

rn

As ações estratégicas e parcerias com secretarias estaduais de áreas afins, empresas, associações de classe, sindicatos, cooperativas e órgãos federais tiveram um papel decisivo nas articulações para alcançar as primeiras metas, entre as quais a ordenação da posse e uso dos recursos naturais, regulamentada pela Lei nº 7.951/2012, que instituiu o Cadastro Estadual de Controle, Acompanhamento e Fiscalização das Atividades de Pesquisa, Lavra, Exploração e Aproveitamento de Recursos Minerários (CERM) e a Taxa de Controle, Acompanhamento e Fiscalização das Atividades de Pesquisa, Lavra, Exploração e Aproveitamento de Recursos Minerários (TFRM).

rn

Já o Decreto do Governo nº 386, que regulamentou a Taxa e possibilitou o pré-cadastramento e o cadastro definitivo, até o momento registrou mais de 100 mineradoras que operam no Pará, inclusive as 10 maiores desse segmento.

rn

Outras ações se referem à realização das oficinas, pela Diretoria de Geologia, Mineração e Transformação Mineral (DGEM), destinadas a conhecer as dificuldades e oportunidades nos segmentos de Gemas e Joias e Oleiro-Cerâmico, em Belém e no interior. O projeto das oficinas é coordenado pela secretária adjunta da Seicom, Maria Amélia Enríquez.

rn

Até o final de 2012, a Seicom realizará mais 11 oficinas, com os mesmos objetivos e metodologia, para coletar novas contribuições ao futuro Plano de Mineração do Estado, que deverá ser lançado em 2013. Esta será a primeira vez que o Pará terá um marco institucional para ordenar e possibilitar o planejamento e a gestão pública do setor mineral.

rn

O balanço também ressalta as ações para “Dinamizar as Economias Locais em Bases Sustentáveis”, com várias iniciativas já realizadas, como a reorganização do Núcleo Estadual de Apoio aos Arranjos Produtivos Locais (APLs), o Plano de Trabalho para o APL do Polo Metal Mecânico, no município de Marabá (no sudeste do Estado), e a validação da minuta da futura Lei do Cooperativismo no Pará.

rn

Ainda no segmento de “Bases Sustentáveis” foram firmados dois termos de compromisso com a mineradora Vale e o consórcio responsável pela construção da Hidrelétrica de Belo Monte, visando internalizar renda e gerar emprego no Estado, com a inclusão da Seicom no Comitê Temático de Compras Governamentais. Também foram reformulados os critérios para acesso a financiamento no Banco do Produtor.

rn

Incentivos – Atualmente, seis projetos de concessão de incentivos fiscais passam por análise técnica na Seicom, para beneficiar empresas dos setores de borracha, envase de água mineral, argamassas, frigorífico, cabos de cobre e moinho de trigo. A Secretaria levantou as primeiras informações com 80 empresas para o projeto de mapeamento dos insumos adquiridos pelas indústrias estratégicas instaladas no Estado, referente a bens e serviços, para fazer parte da Política Industrial do Pará.

rn

Segundo dados disponíveis no relatório dos 100 dias de atividades da Seicom, houve ainda avanços concretos nos compromissos firmados com o governo no item “Promover Maior Participação das Instituições Civis Representativas”, registrando a participação de 60 instituições civis em ações da Secretaria.

rn

Quanto ao objetivo estratégico de governo relacionado a “Promover Maior Integração com a União e Municípios”, destaca-se a participação de cinco ministérios em trabalhos de cooperação técnica em desenvolvimento no Pará.

rn

Produção – No objetivo estratégico “Construir Planos Regionais Desconcentrando e Assegurando a Presença do Estado”, o relatório destaca a realização da primeira fase da Caravana da Produção, que visitou os municípios de Parauapebas, Curionópolis e Marabá, no sudeste paraense, entre os dias 18 e 23 de março deste ano.

rn

A caravana foi integrada por técnicos da Seicom, do Programa Municípios Verdes e da Companhia de Desenvolvimento Industrial do Pará (CDI), com a coordenação do titular da Seicom, David Leal. Um dos resultados concretos dessa iniciativa foi a rápida liberação da Licença de Operação (LO) pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), em abril, para a ampliação da produção no Polo Moveleiro de Parauapebas.

rn

De 18 a 25 de junho, outra equipe da Seicom, também com a participação do secretário David Leal, realizou a segunda Caravana da Produção, visitando os municípios de Santarém, Belterra, Óbidos, Oriximiná e Juruti, no oeste do Estado. O objetivo foi aproximar o governo central dos segmentos do comércio, indústria e mineração da região, para discutir ações destinadas ao desenvolvimento do Estado.

rn

Investimentos – No setor para “Atrair Novos Investimentos Produtivos ao Estado”, o relatório contabiliza a instalação de sete empresas nos ramos de embalagem, cosmético, bebidas, óleo de palma e estaleiro. Há ainda incentivos fiscais da Seicom para mais três empresas do setor de bebidas, de fabricação de colchões e beneficiamento de palmito.

rn

O relatório também ressalta que, nos primeiros 100 dias de trabalho, foi concluído o diagnóstico das condições atuais e perspectivas de criação de novos distritos industriais no Estado, em parceria com a Companhia de Desenvolvimento Industrial (CDI), e a negociação com municípios para a criação da Rede de Atração de Investimento no futuro Polo Metal Mecânico de Marabá.

rn

A avaliação interna ainda enfatiza o Convênio de Cooperação Técnica entre o Banco Mundial e a Agência Brasileira de Promoção de Exportação e Investimentos (Apex), cujo objetivo é transferir ao Estado metodologias e cenários para atração de investimentos voltados à área da fruticultura – projeto em fase experimental.

rn

O balanço destaca, ainda, a inclusão do Pará entre os principais países no quesito “Atendimento a Investidores Externos”, competência no Estado atribuída à Seicom, que mantém um site dedicado ao tema. O desempenho foi divulgado em publicação do Banco Mundial, a “Global Investiment Promotion Best Practices” (GIPB) de 2012, que coloca o Estado no mesmo patamar de países em desenvolvimento, que possuem as melhores práticas nessa área.

rn

“Estes primeiros resultados são animadores, mas o trabalho está apenas começando. Estamos agindo em equipe, com outras secretarias, dialogando sempre, ouvindo, aprendendo, para alcançar novas metas, especialmente focadas na verticalização de projetos econômicos que melhorem a qualidade de vida da população do Pará, com a geração de renda e emprego. Isto é um ponto inflexível no atual governo. É orientação do governador Simão Jatene, e estamos determinados a contribuir com essa mudança”, enfatizou o secretário David Leal.

rn

 

Fonte: Agência Pará

Compartilhe:

LEIA TAMBÉM



Brasil terá 1º hub de inovação para a indústria mineral

19 de novembro de 2018

Inédita no setor em nível global, iniciativa de mineradoras brasileiras em parceria com a WeWork pretende impactar positivamente a competitividade…

LEIA MAIS

Participe do I Seminário de Mineração e Meio Ambiente da Bahia

19 de setembro de 2018

Estão abertas as inscrições para o “I Seminário de Mineração e Meio Ambiente da Bahia”. O evento será realizado entre…

LEIA MAIS

Belo Horizonte receberá seminário sobre Barragens de Rejeitos

22 de outubro de 2018

As barragens de rejeito estarão em foco na segunda edição do Seminário UK-Brazil Mining Forum. O evento será realizado em Belo…

LEIA MAIS