NOTÍCIAS

Cautela supera euforia e dólar sobe a R$ 2,04

3 de janeiro de 2013

rnMesmo após boas notícias vindas dos EUA, moeda avançou 0,14% com temor de recessãorn rnA euforia que tomou conta dos mercados no primeiro pregão de 2013, após o acordo americano que postergou o abismo

rn

Mesmo após boas notícias vindas dos EUA, moeda avançou 0,14% com temor de recessão

rn

 

rn

A euforia que tomou conta dos mercados no primeiro pregão de 2013, após o acordo americano que postergou o abismo fiscal, não foi verificada no câmbio. A moeda avançou ontem 0,14%, cotada a R$ 2,04 para venda, mas alcançou a mínima de R$ 2,03 pela manhã.

rn

Os analistas consultados entendem que, embora o abismo fiscal tenha sido evitado, os problemas na economia americana ainda persistem, e apenas foram jogados mais para frente.

rn

“A especulação de que os ratings dos Estados Unidos podem ser rebaixados mesmo sem o abismo talvez tenha pesado um pouco”, diz Flávio Serrano,economista sênior do Espírito Santo Investment Bank.

rn

A despeito deste movimento pouco claro, para as próximas semanas o gerente da mesa de câmbio da Correparti, João Paulo de Gracia Corrêa, acredita que a taxa do dólar deve operar próxima deste patamar.“Essa deve ser uma taxa natural, já que o Banco Central fez vários leilões para baixar para esse nível, e informou que os R$ 2,05 foram usados como base para seu cálculo de inflação”.

rn

 

Fonte: Brasil Econômico

Compartilhe:

LEIA TAMBÉM



Fabio Schvartsman participa de evento corporativo em São Paulo

16 de abril de 2018

O diretor-presidente da Vale, Fabio Schvartsman, participou, no dia 10 de abril, do Itaú Macro Vision, evento voltado para o…

LEIA MAIS

CBMINA: submissão de trabalhos pode ser feita até esta sexta-feira

10 de abril de 2018

Para reforçar a importância de mão de obra qualificada e garantir o crescimento responsável da atividade minerária no País, o…

LEIA MAIS

Série de vídeos mostra a verdadeira mineração do Brasil

10 de abril de 2018

A extração dos recursos naturais é uma atividade que sempre foi exercida pelo homem. É na natureza que ele busca…

LEIA MAIS