NOTÍCIAS

Com R$ 1 bi, mineradora de Agnelli e BTG começa a operar em 60 dias

13 de julho de 2012

rnA B&A Mineração, empresa lançada ontem pelo BTG Pactual e pelo ex-presidente da Vale Roger Agnelli, chega ao mercado com um plano de investimento de R$ 1,04 bilhão, como antecipou ontem o ‘Estado’. A companhia come&c

rn

A B&A Mineração, empresa lançada ontem pelo BTG Pactual e pelo ex-presidente da Vale Roger Agnelli, chega ao mercado com um plano de investimento de R$ 1,04 bilhão, como antecipou ontem o ‘Estado’. A companhia começa a operar em 60 dias e vai atuar no ramo de mineração no Brasil, na América Latina e na África.

rn

 

rn

Apesar de grande parte do aporte inicial da companhia ser do BTG Pactual, o controle da empresa será dividido igualitariamente entre o BTG e a AGN Participações, empresa criada por Agnelli no início deste ano. O acordo prevê exclusividade à AGN nos projetos no ramo de mineração com o BTG Pactual. Ou seja, todos os projetos de mineração da AGN serão tocados juntamente com o BTG Pactual.

rn

Segundo Agnelli, a B&A já identificou oportunidades de investimentos em ativos de fertilizantes, minério de ferro e cobre. “As commodities estão em processo de calmaria, mas o ciclo é de longo prazo. Os olhos estão no longo prazo. É um período para aproveitar as oportunidades”, disse.

rn

A mineradora já nasce com projetos na carteira, disse Carlos Fonseca, sócio do BTG Pactual. A B&A já possui parceria firmada com a empresa Rio Verde, que atua na área de fertilizantes no Brasil, e com a fabricante de cobre chilena Cuprum, que deverá operar a partir de 2014.

rn

A companhia também estuda negócios na área de titânio, disse o presidente da B&A, Eduardo Ledsham, que foi diretor de Exploração da Vale. A expectativa dele é de que os primeiros projetos da empresa entrem em operação no prazo de três a cinco anos. Em um primeiro momento, a nova empresa vai buscar projetos de pequeno e médio porte.

rn

Parcerias. Ledsham disse que o objetivo da mineradora é buscar parceiros e “janelas de oportunidade” no mercado. “Podemos trazer parceiros e sócios”, afirmou o executivo.

rn

Os olhares da nova empresa estão voltados para oportunidades na África, onde há disponibilidades de ativos com custos melhores. Na região, o executivo destacou que os desafios envolvem principalmente a questão logística, deficitária no local. “Parcerias em mineração e logística são fundamentais”, disse Ledsham.

rn

A intenção da B&A em investir na África também foi reforçada por Agnelli. “A África não é futuro, é presente”, disse.

rn

O fôlego financeiro da B&A é um dos trunfos da empresa para entrar no ramo de mineração. Para Fonseca, do BTG, o cenário de crise econômica é interessante para buscar investimentos. “O capital para investimento está relativamente restrito, mas nós temos R$ 1 bilhão para investir”, disse.

rn

Outros negócios. Além da parceria com o BTG na nova mineradora, a AGN Participações também tem negócios nos segmentos de logística e bioenergia. “As três áreas estão andando simultaneamente. O braço de mineração está andando um pouco mais rápido já que está no sangue”, disse Agnelli.

rn

Agnelli deixou a presidência da Vale em maio do ano passado, após pressões do governo. O empresário tirou uma espécie de período sabático até o fim do ano passado. No início deste ano, ele montou sua empresa, a AGN, e começou a contratar a equipe.

rn

Além de Ledsham, que comandará a B&A, Agnelli também trouxe para sua equipe Mario Barbosa, outro ex-executivo da Vale. Ele será responsável pela área de fertilizantes da B&A, a mesma em que atuou na Vale. A AGN também deve receber o reforço do ex-diretor jurídico da Vale Fábio Spina, que cumpre um período de quarentena até agosto.

rn

 

Fonte: O Estado de S. Paulo

Compartilhe:

LEIA TAMBÉM



Belo Horizonte é o terceiro mercado de coworking no Brasil

27 de novembro de 2018

Maior empresa do setor no mundo lança espaço de seis andares na cidade Terceiro maior mercado de coworkings do Brasil…

LEIA MAIS

Serabi aumenta reservas de ouro em 31%

12 de dezembro de 2017

A Serabi Gold disse ontem (11) que a nova estimativa de reservas minerais provadas e prováveis para as minas de…

LEIA MAIS

Vale cria Diretoria de Investimento Social

10 de dezembro de 2018

Hugo Barreto, ex-secretário-geral da Fundação Roberto Marinho, será o responsável pelos projetos sócio-culturais da empresa e pela Fundação Vale A…

LEIA MAIS