NOTÍCIAS

Companhias focam investimentos no minério de ferro

31 de dezembro de 2012

rnO minério de ferro deve ganhar no próximo ano uma importância ainda maior nos investimentos tanto demineradoras quanto de siderúrgicas brasileiras. Com seus mercados ainda tentando se recuperar, as empresas

rn

minério de ferro deve ganhar no próximo ano uma importância ainda maior nos investimentos tanto demineradoras quanto de siderúrgicas brasileiras. Com seus mercados ainda tentando se recuperar, as empresas decidiram focar seus investimentos em segmentos mais rentáveis – e o minério de ferro, apesar da queda recente nos preços, ainda tem uma margem de lucro muito positiva.

rn

Conhecida por investimentos bilionários e diversificados, a Vale já informou que fará aportes menores daqui para a frente e que dará foco total para o minério de ferro. No início de dezembro, quando apresentou seu programa de investimentos, a empresa afirmou que o projeto Serra Sul, o S11D, em Carajás, receberá atenção total da companhia. A expectativa é de que esse projeto ajude a Vale a reduzir seus custos e, ao mesmo tempo, amplie a qualidade do minério. Com início das operações programadas para 2016, o projeto prevê uma produção anual de 90 milhões de toneladas, com investimentos totais de US$ 19,5 bilhões.

rn

O programa de investimentos da Vale para 2013 totaliza US$ 16,3 bilhões, ante os US$ 17,5 bilhões que devem ser efetivamente realizados este ano. No anúncio, o diretor executivo de Finanças e de Relações com Investidores da Vale, Luciano Siani, frisou que o montante menor não significa que a empresa não está otimista em relação ao futuro, mas está alterando seu foco, mantendo maior atenção em projetos de maior rentabilidade.

rn

Segundo Ronaldo Valiño, sócio da PwC Brasil, o foco das mineradoras será sim em investimentos em projetos de menor custo. “As mineradoras continuarão com os investimentos em ampliação e em novas unidades em busca de oportunidades, mas sempre com a preocupação de reduzir os custos de exploração”, disse. Foi justamente esse o recado da Vale na apresentação a investidores em Nova York, quando os executivos da empresa frisaram que a base da sua nova estratégia é focar na “eficiência de capital”.

rn

O gerente sênior de Transações Corporativas da Ernst & Young Terco, Stephen Collins, observa que os projetos de mineração têm uma maturidade longa, o que torna mais complicada a decisão de investir em novas minas diante de um cenário de maior turbulência econômica. Com isso, lembra o especialista, uma das decisões das empresas do setor tem sido a expansão dos ativos já existentes.

rn

 

Fonte: Estadão

Compartilhe:

LEIA TAMBÉM



Centro de Operações Integradas completa um ano de funcionamento

24 de setembro de 2018

A integração da cadeia de valor de Ferrosos, por meio do Centro de Operações Integradas (COI), é uma realidade na…

LEIA MAIS

Vale anuncia a venda dos seus ativos de nitrogenados e fosfatado em Cubatão à Yara

21 de novembro de 2017

A Vale informa que celebrou um acordo de compra de cotas com Yara International ASA, empresa listada na Bolsa de…

LEIA MAIS

Alcoa apoia desenvolvimento em Inglês para alunos do Senai Juruti

10 de dezembro de 2018

Estudantes do Programa de Formação de Operadores e Operadoras (PFO) e de cursos técnicos do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial…

LEIA MAIS