NOTÍCIAS

Copa da Noruega 2015 terá participação de time de programa educacional da Amazônia

23 de julho de 2015

Programa educacional ajuda a transformar a realidade social de jovens das escolas do município de Barcarena, no estado do ParárnA combinação é perfeita: educação, cidadania e também uma paix&ati

Programa educacional ajuda a transformar a realidade social de jovens das escolas do município de Barcarena, no estado do Pará

rn

A combinação é perfeita: educação, cidadania e também uma paixão nacional, o futebol. Há 14 anos o programa educacional da refinaria de alumina Hydro Alunorte, “Bola pra frente, Educação pra Gente”, vem conseguindo transformar a vida de jovens do município de Barcarena por meio desses três elementos. A iniciativa é realizada em parceria com a Secretaria Municipal de Educação de Barcarena (SEMED) e tem o objetivo de melhorar a educação no município do nordeste paraense. O programa prioriza a educação. Os alunos inscritos são orientados a estudar e a participar das atividades socioeducativas desenvolvidas pelo programa na escola, atuando sempre a favor de melhorias para a instituição de ensino e também para a comunidade.

rn

Para apoiar a iniciativa educacional, o projeto forma o time de futebol Alunorte Rain Forest (ARF), que desde 2001 representa o Pará e a Região Norte do Brasil na Norway Cup, a Copa da Noruega, um dos maiores torneios de futebol infantojuvenil do mundo e que este ano ocorrerá de 26 de julho a 1º de agosto na capital, Oslo. Os 17 estudantes-atletas do time 2015 já estão treinando intensamente para disputar na Categoria Sub-17 e fazer bonito em campo. A Copa da Noruega foi criada em 1972 e ano passado 1.560 equipes participaram da competição com mais de 32.000 jogadores. Durante o torneio de uma semana, cerca de 4.200 jogos foram disputados em 75 campos de futebol. Foram 55 nações representadas na Copa de 2014.

rn

Desde 2001, o ARF é o único time paraense presente na competição. A movimentação dos estudantes para emitir passaportes, orientados pela Hydro Alunorte, se inicia geralmente três meses antes da viagem. Nesse período de tempo, os treinos também são intensificados e passam a ocorrer intercalados com amistosos a fim de testar o desempenho dos estudantes-atletas. A melhor atuação do ARF na Copa da Noruega veio em 2011, quando o time daquele ano conquistou a segunda colocação na categoria sub-16, disputando com mais de 200 equipes. “Estou confiante nessa equipe e acredito que os garotos têm potencial para fazer um bom trabalho, conseguindo um resultado melhor do que o de 2011”, avalia o técnico do time, Nelson Pereira.

rn

Por proporcionar experiências únicas dentro e fora do país, participar do programa tornou-se o sonho de muitos garotos barcarenenses. O jogador, José Ilgner Lima Freitas, tem 16 anos, cursa o 1º Ano do Ensino Médio na escola Acyr Barros, no bairro São Francisco, na periferia de Barcarena, e se esforçou muito para fazer parte do ARF 2015. O capitão do time se dedicou para tirar notas melhores na escola e ser um aluno exemplar. Além disso, treinou bastante para ter um bom desempenho em campo e hoje enche de orgulho a família, os professores e os técnicos do time. “Desde criança eu sigo o exemplo do meu pai, que já foi jogador profissional. Para mim, o esporte é vida e a educação é um meio para nós alcançarmos todos os nossos objetivos”, diz.

rn

O Programa

rn

Todos os anos, a coordenação do ‘Educação pra Gente’, como é conhecido, visita as instituições de ensino do município para apresentar o cronograma e o regulamento do programa e inscrever os alunos interessados. Tudo é realizado em parceria com a SEMED. Os estudantes cursam entre o 4º ano do Ensino Fundamental e o 3º ano do Ensino Médio e são avaliados individualmente por suas notas, frequência escolar e comportamento dentro e fora da sala de aula.

rn

Ao longo do período letivo, o ‘Educação pra Gente’ oferece um programa de formações para os alunos, onde são abordados diversos temas que contribuem para a formação social dos estudantes. “A dinâmica prevê a criação de projetos socioeducacionais que resultem em melhorias dentro das comunidades da região. Os projetos são criados pelos alunos, professores e coordenadores das escolas inscritas no programa”, explica a gerente geral de comunicação e relacionamento da Albras e da Hydro Alunorte, Elena Brito. Durante o ano, professores e coordenadores são capacitados para ajudar os alunos no desenvolvimento de projetos pedagógicos e, ao final do período letivo, eles são avaliados durante o Fórum de Educação Social, no qual são escolhidos os vencedores nas categorias Escola Destaque, Professor Destaque e Aluno Destaque.

rn

No último Fórum, a professora coordenadora pedagógica Lucivani Ferreira, da Escola Municipal de Ensino Fundamental Cônego Francisco Cravo, no bairro do Laranjal, foi eleita ‘Coordenadora Destaque’. Ela foi responsável ao longo do ano letivo pelo desenvolvimento do projeto “Meio Ambiente e Sustentabilidade” dentro da escola. Por meio dele, os alunos foram orientados a tomar atitudes sustentáveis realizando plantios, reutilização de pneus e garrafas pet e reconstrução da horta da escola, que abastece, inclusive, a merenda escolar. A estudante do 8º ano da mesma escola, Jéssica de Alencar, 15 anos, ganhou o título de ‘Aluna Destaque 2014’ por ter tido um bom desempenho no projeto e na apresentação das ações, no dia do Fórum. “A sensação de ter sido eleita é maravilhosa. Para um aluno que se esforça, chegar até aqui é muito gratificante”, avalia, emocionada, a aluna. “Fico feliz por ter ajudado a contribuir de alguma forma para a melhoria da educação do município e para a formação social dos alunos”, diz a coordenadora Lucivani.

rn

Como premiação, Jéssica viaja para a Noruega no dia 20 de julho junto com os 17 integrantes do time de futebol. Durante a viagem, todos eles irão realizar uma pesquisa comparativa da realidade de Oslo com a de Barcarena, propondo melhorias para o município paraense.

rn

Seletivas

rn

O primeiro e principal requisito para integrar o programa é apresentar um bom histórico escolar. A regra também se aplica para o aluno que almeja fazer parte do time. Enquadrado nesse primeiro requisito, o candidato ao ARF precisa provar que é bom de bola. Os selecionados são conhecidos no início de cada ano e, a partir daí, começa uma rotina de atividades. A equipe treina toda semana, faz avaliações físicas e acompanhamentos médicos, participa de amistosos nas comunidades, faz excursões culturais na região barcarenense e assiste aulas de cidadania, entre outras ações ao longo do ano.

rn

 

rn

 

 

Fonte: Assessoria

Compartilhe:

LEIA TAMBÉM



Produção de minério de ferro da BHP cai 4% no trimestre

20 de outubro de 2017

Os números levam em consideração o minério de ferro produzido pela BHP e em parcerias em joint ventures

LEIA MAIS

Programação da EXPOSIBRAM 2019 é construída de forma colaborativa

12 de novembro de 2018

Em pesquisa realizada pela internet, interessados em participar da próxima edição da Expo & Congresso Brasileiro de Mineração indicaram os…

LEIA MAIS

Estão abertas inscrições para treinamento sobre Apreciação de Risco em Máquinas da Schmersal

22 de outubro de 2018

Multinacional alemã líder mundial em sistemas de segurança para máquinas industriais, a Schmersal divulga o inicio das inscrições para o…

LEIA MAIS