NOTÍCIAS

CPRM lança dois informes que indicam ocorrência de minerais estratégicos em MT e RO

24 de maio de 2017

Os estudos indicam áreas com ocorrência de cromo e áreas com indícios de manganês, localizadas em regiões próximas à fronteira com a Bolívia nos estados do Mato Grosso e Rondônia

O Serviço Geológico do Brasil (CPRM) acaba de lançar dois novos informes de recursos minerais. Os estudos, relacionados a minérios estratégicos, indicam áreas com ocorrência de cromo e áreas com indícios de manganês, localizadas em regiões próximas à fronteira com a Bolívia nos estados do Mato Grosso e Rondônia.
 
O informe denominado Indício de Mineralização de Manganês no Município de Comodoro aponta indícios de mineralização de manganês de alto teor, com potencial para gerar novas oportunidades para a indústria mineral. A descoberta ocorreu durante o mapeamento de campo do Projeto Novas Fronteiras Sudeste de Rondônia. O resultado preliminar obtido pela química de rocha parece indicar possíveis vantagens para aplicação nas indústrias do aço e fertilizantes devido à elevada razão Mn/Fe e baixo teor de fósforo.
 
A pesquisa apresenta um indício de Mn em um afloramento que apontou semelhança à descrição de depósito de manganês hidrotermal, cuja ocorrência recente em Rondônia, em Espigão do Oeste, resultou na produção de 50 mil toneladas de manganês. No entanto, os dados obtidos até o presente são insuficientes para se determinar a tipologia do indício e sua extensão. A área do indício localiza-se no Estado do Mato Grosso, próximo à fronteira com a Bolívia e na divisa com o Estado de Rondônia.
 
O informe intitulado Ocorrência de Horizonte Cromífero no Complexo Trincheira, Município de Corumbiara, Sudeste de Rondônia, aponta ocorrência de cromo identificada em rochas ultramáficas localizadas na Estrada do Boi, Município de Corumbiara, próximo à divisa entre o Estado de Mato Grosso e fronteira com a Bolívia. As análises indicam uma amostra com teores relevantes de cromo, níquel, cobalto e teores menores de cobre e vanádio.  A expectativa é que os dados impulsionem novas pesquisas nas áreas para averiguação da potencialidade dos depósitos minerais, tendo em vista localização no Complexo Trincheira, pois a ocorrência apresenta semelhanças com os corpos ultramáficos descritos no Morro Sem Boné e Morro do Leme, mineralizados em níquel.
 
O estudo detalha ainda que foram identificadas quatro amostras com concentrações relevantes de Cromo e níquel que afloram como blocos, sendo três das ocorrências alinhadas paralelamente, de modo a sugerir fazer parte do mesmo horizonte. Os pesquisadores recomendam estudos de detalhe que busquem identificar a extensão lateral e em profundidade.
 
Os dois informes foram escritos pelos geólogos da CPRM: Lívio Corrêa, Carlos de Oliveira, Guilherme da Silva e Thyago Ribeiro, que atuam na Residência de Porto Velho. Ambos os informes estão disponíveis para consulta no Repositório Institucional de Geociências (Rigeo), do Serviço Geológico do Brasil.http://rigeo.cprm.gov.br.
CPRM
Compartilhe:

LEIA TAMBÉM



Exportação de pelotas aumenta 14,2% de janeiro a setembro

23 de novembro de 2017

Foram exportadas 22,5 milhões de toneladas de pelotas nos nove meses deste ano A exportação de pelotas, feita pela Vale,…

LEIA MAIS

Projeto de terras-raras vai produzir 5 mil toneladas por ano em Goiás

13 de novembro de 2017

A Mineração Serra Verde (MSV) trabalha para produzir anualmente 5 mil toneladas de concentrado de terras-raras no projeto que possui…

LEIA MAIS

Produção de minério de ferro da BHP cai 4% no trimestre

20 de outubro de 2017

Os números levam em consideração o minério de ferro produzido pela BHP e em parcerias em joint ventures

LEIA MAIS