NOTÍCIAS

Depósito de ouro da Beadell no Amapá começa a produzir no 1º trimestre de 2016

3 de setembro de 2015

A Beadell Resources informou  no dia 2 que vai iniciar o estágio 3 do depósito de ouro de alto teor Duckhead, no Amapá, depois de ter obtido as licenças necessárias. Com a ampliação da cava a c&ea

A Beadell Resources informou  no dia 2 que vai iniciar o estágio 3 do depósito de ouro de alto teor Duckhead, no Amapá, depois de ter obtido as licenças necessárias. Com a ampliação da cava a céu aberto, o depósito, que faz parte da mina de ouro Tucano, vai 28,7 gramas de ouro por tonelada de minério, cerca de 20 mil onças, no primeiro trimestre de 2016.

rn

A expectativa da mineradora australiana é que as vendas de ouro no segundo semestre deste ano fiquem entre 65 mil e 80 mil onças, com custo operacional global de US$ 850 a US$ 950 por onça. O volume previsto é o mesmo informado pela Beadell no relatório do segundo trimestre, mas é inferior à projeção do primeiro trimestre, tendo em vista que a operação de Duckhead estava prevista ainda para 2015.

rn

A mineradora disse que o preço do ouro, em reais, atingiu o valor recorde de R$ 4.209,23 por onça ontem (1). Desde a divulgação dos resultados do primeiro semestre, publicados em 31 de julho, até a 1º de setembro, o real desvalorizou 8% perante o dólar americano, enquanto o dólar australiano enfraqueceu 2%. Na comparação ano a ano, a queda do real é de 29% e do dólar australiano 14% em relação ao dólar americano.

rn

A Beadell também informou nesta quarta-feira, em comunicado ao mercado, que está realizando modificações para que 30% do material enviado para o britador seja de rochas primárias, nos próximos 12 meses, um aumento em relação à faixa atual de 10% a 20%.

rn

A SRK Consulting realizou testes com as rochas primárias no britador, e os resultados vão determinar a necessidade de capital adicional para britagem ou moagem para manter o rendimento para uma produção anual de 160 mil onças de ouro, durante os sete anos de vida útil da mina.

rn

A mineradora australiana disse também que concluiu a construção de um estoque de rejeitos e agora a operação possui capacidade para os próximos quatro anos, o que vai reduzir os custos da empresa.

rn

A Beadell divulgou ainda que resultados de sondagem de Urucum, que faz parte da mina Tucano, confirmaram a continuidade da mineralização de alto teor do veio principal, que agora foi estimado em 400 metros na direção do corpo mineral. Os resultados apontaram 15,45 metros com teor de 17,19 gramas de ouro por tonelada, incluindo 4,27 metros com 55,97 gramas de ouro por tonelada.

rn

A empresa disse que contratou a AMC Consultants para realizar o estudo prévio de viabilidade de Urucum. O documento deve ser concluído até o fim deste ano e caso aponte resultados positivos, a Beadell vai fazer o estudo de viabilidade no primeiro trimestre do ano que vem. Posteriormente, o conselho da empresa decidirá se vai tocar ou não o empreendimento.

rn

A Beadell opera no Brasil por meio das subsidiárias Beadell Brasil e Beadell Resources Mineração. A mina de ouro Tucano é formada por 48 direitos minerários, sendo apenas uma concessão de lavra para minério de ferro e ouro em Pedra Branca do Amapari (AP). A Beadell também possui sete direitos em Western Australia.

rn

Clique aqui e acesse a matéria.

rn

 

rn

 

 

Fonte: Notícias de Mineração Brasil

Compartilhe:

LEIA TAMBÉM



Sindirochas e Abirochas juntos no MME para discutir a CFEM

3 de dezembro de 2018

Os presidentes do Sindirochas, Tales Machado, e Abirochas, Reinaldo Sampaio, se reuniram com a Secretária de Geologia e Mineração e…

LEIA MAIS

Inscrições abertas para o Simpósio do Ouro e Metais Nobres em Minas Gerais

8 de outubro de 2018

studos do Conselho Mundial do Ouro (World Gold Council – WGC) apontam que a expansão da classe média na China…

LEIA MAIS

Produção da Vale bate recorde no trimestre

20 de outubro de 2017

O complexo atingiu recorde trimestral de 45 Mt no terceiro trimestre, ao produzir 8,5% a mais do que no segundo trimestre.

LEIA MAIS