NOTÍCIAS

Gerdau venderá até 5 milhões de toneladas de minério de ferro ao ano

3 de maio de 2012

rnAlém de garantir a autossuficiência de minério de férreo para a Açominas até o fim deste ano, os investimentos da Gerdau no setor de mineração deverão gerar um excedente de at&eacut

rn

Além de garantir a autossuficiência de minério de férreo para a Açominas até o fim deste ano, os investimentos da Gerdau no setor de mineração deverão gerar um excedente de até cinco milhões de toneladas anuais da matéria-prima para comercialização no mercado a partir de 2014.

rn

O volume equivale à diferença entre as 6,5 milhões de toneladas necessárias para o suprimento integral da usina de Ouro Branco (MG) e a produção estimada de 11,5 milhões de toneladas por ano no fim do período.

rn

“O que vai ser produzido extra, nós vamos comercializar”, disse André Gerdau Johannpeter, diretor-presidente do grupo siderúrgico, em teleconferência com jornalistas para comentar os resultados da companhia no primeiro trimestre. 

rn

De acordo com ele, o projeto de “monetização” da produção excedente de minério de ferro em Minas Gerais continua em andamento e o número de potenciais parceiros para o negócio já foi reduzido. “Agora estamos na parte das visitas”, disse, sem especificar uma data para a definição do futuro sócio no negócio.

rn

rn

Ontem à noite a Gerdau anunciou investimentos de R$ 838 milhões para ampliar a capacidade atual de produção de minério de ferro de 6,5 milhões de toneladas para 11,5 milhões de toneladas até 2014. 

rn

O plano inclui uma segunda unidade de tratamento da matéria-prima na mina de Miguel Burnier (MG) e um sistema de logística com uma nova estrada, um terminal ferroviário ainda em definição e uma correia transportadora de nove quilômetros de extensão para levar o material até Ouro Branco.

rn

O alto custo das matérias-primas (minério de ferro, carvão metalúrgico e sucata) foi um dos fatores apontados pela Gerdau para a redução das margens no primeiro trimestre do ano. Conforme o grupo, a receita líquida consolidada cresceu 10% nos três meses ante igual período de 2011, para R$ 9,2 bilhões, mas a margem bruta recuou de 14% para 12% no período, enquanto a margem de lucro antes de juros, impostos, amortizações e depreciações (Ebitda, na sigla em inglês) diminuiu de 13% para 11%.

rn

rn

 

Fonte: Valor Econômico

Compartilhe:

LEIA TAMBÉM



Redes e Imerys capacitam fornecedores em projetos sociais

8 de outubro de 2018

Com o objetivo de fomentar a capacitação de fornecedores locais, as indústrias paraenses têm buscado, cada vez mais, a parceria…

LEIA MAIS

NLMK participa da M&T Expo 2018

29 de outubro de 2018

A siderúrgica NLMK vai participar da edição de 2018 da MT&Expo, Feira Internacional de Equipamentos para Mineração e Construção, que…

LEIA MAIS

Desenvolvimento de Normas Internacionais da ISO em debate

12 de novembro de 2018

Produtores, consumidores, clientes e prestadores de serviços relacionados ao Setor Mineral Brasileiro reuniram esforços para desenvolver e atualizar normas técnicas…

LEIA MAIS