NOTÍCIAS

Governo descarta carvão mineral em usinas no curto prazo

16 de janeiro de 2013

rnApesar de o carvão mineral ser um combustível mais barato para utilização em usinas térmicas, o governo descarta considerar essa energia muito poluente nos próximos leilões. Segundo o secre

rn

Apesar de o carvão mineral ser um combustível mais barato para utilização em usinas térmicas, o governo descarta considerar essa energia muito poluente nos próximos leilões. Segundo o secretário de Planejamento Energético do Ministério de Minas e Energia, Altino Ventura, embora o combustível tenha um custo mais baixo dentre todas as fontes térmicas, a lei de mudanças climáticas brasileira não o proíbe mas sinaliza o fomento a fontes renováveis como a biomassa. “O carvão mineral emite o dobro de CO2 das usinas a gás. Por isso, no curto prazo, vamos evitar a construção de novas usinas com esse combustível.”

rn

De acordo com o secretário, no entanto, como se trata de uma fonte barata e com reservas consideráveis no País, o carvão mineral pode voltar a ser uma alternativa viável, no futuro. “Essa reserva energética não pode deixar de ser contemplada. Existem novas tecnologias em desenvolvimento para aumentar a eficiência da queima e para capturar o CO2 emitido. E essas novas tecnologias poderão viabilizar a utilização em maior escala desse combustível barato na nossa matriz.”

rn

 

rn

 

rn

 

rn

 

Fonte: Hoje em Dia

Compartilhe:

LEIA TAMBÉM



LITOTECA DA CBPM É REABERTA

5 de outubro de 2015

Os interessados em fazer consultas em amostras de testemunhos de sondagem de projetos pesquisados pela Companhia Baiana de Pesquisa Mineral (CBPM) já podem programar visitas à Litoteca da empresa.

LEIA MAIS

Exportação de pelotas aumenta 14,2% de janeiro a setembro

23 de novembro de 2017

Foram exportadas 22,5 milhões de toneladas de pelotas nos nove meses deste ano A exportação de pelotas, feita pela Vale,…

LEIA MAIS

Minério mantém alta

5 de dezembro de 2017

Em sua quinta alta consecutiva, o minério de ferro atingiu o maior valor desde 14 de setembro no mercado à…

LEIA MAIS