NOTÍCIAS

Levantamento aerogeofísico da Cancana identifica anomalias de manganês

24 de junho de 2015

A Cancana Resources informou, nesta terça-feira (23), que concluiu o levantamento aerogeofísico realizado nas minas Rio Madeira e Jaburu, em Rondônia, onde a empresa produz manganês por meio da Brazil Manganês Corporat

A Cancana Resources informou, nesta terça-feira (23), que concluiu o levantamento aerogeofísico realizado nas minas Rio Madeira e Jaburu, em Rondônia, onde a empresa produz manganês por meio da Brazil Manganês Corporation, uma joint venture com a Ferrometals. A companhia canadense identificou 21 anomalias geofísicas na área pesquisada.

rn

Até o momento, a Cancana identificou 60% dos dados levantados com os trabalhos aerogeofísicos, que cobriram 64 mil hectares, o equivalente a 61% da área total dos direitos minerários da mineradora na região. As informações são de comunicado enviado ao mercado hoje.

rn

“Esse levantamento aerogeofísico, em conjunto com nossa sondagem que está em andamento, é o primeiro estágio de um programa sistemático e agressivo de exploração e desenvolvimento. Nós acreditamos que, durante este ano, estaremos aptos para destacar o escopo mais amplo e o potencial do nosso projeto de manganês”, disse Anthony Julien, CEO e presidente da Cancana.

rn

A mineradora informou que a avaliação inicial indica que os dados obtidos com o levantamento vão contribuir na interpretação da posição dos corredores estruturais. Os consultores da Lasa Prospecções, empresa que pertence à CGG e foi contratada para o levantamento aerogeofísico, recomendam que 21 anomalias sejam investigadas. Os dados finais dos trabalhos devem ser enviados pela Lasa dentro de dez a 12 semanas.

rn

O levantamento aerogeofísico cobriu a área que é considerada com maior potencial, tendo como base a distribuição das ocorrências de manganês conhecidas pela Cancana. Os 39% restantes da área de 104 mil hectares estão passando por uma avaliação de reconhecimento.

rn

“A conclusão da pesquisa, nesta semana, representa um marco para a joint venture, fornecendo uma base de dados magnéticos e eletromagnéticos do projeto, que vão ajudar na definição de novos alvos de exploração”, afirmou Julien.

rn

A BMC possui 35 direitos minerários junto ao Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM). São cinco requerimentos de pesquisa, dois para estanho, sendo um no Amazonas e outro em Rondônia, e quatro para ouro também em Rondônia. A empresa detém mais 27 autorizações de pesquisa e três concessões de lavra para manganês.

rn

Clique aqui e acesse a matéria na íntegra.

rn

 

rn

 

 

Fonte: Notícias de Mineração Brasil

Compartilhe:

LEIA TAMBÉM



Votorantim Cimentos apoia projeto de resgate histórico-cultural em Corumbá (MS)

17 de dezembro de 2018

Projeto “Todo Lugar tem uma História para Contar”, do Museu da Pessoa, reuniu histórias de vida dos moradores que impulsionou…

LEIA MAIS

AngloGold Ashanti aprimora frota de subsolo

14 de janeiro de 2019

Dois novos jumbos, com investimento de R$ 10 milhões, foram adquiridos para operações de Minas Gerais Cerca de R$ 10…

LEIA MAIS

Belo Horizonte receberá seminário sobre Barragens de Rejeitos

22 de outubro de 2018

As barragens de rejeito estarão em foco na segunda edição do Seminário UK-Brazil Mining Forum. O evento será realizado em Belo…

LEIA MAIS