NOTÍCIAS

MBAC confirma altos teores em Araxá

12 de julho de 2012

As pesquisas encomendadas pela MbAC Fertilizantes confirmaram a existência de altos teores de terras-raras, nióbio e fosfatos em Araxá (MG). A empresa, que tem a propriedade total do projeto na área de 214 hectares, agora s

As pesquisas encomendadas pela MbAC Fertilizantes confirmaram a existência de altos teores de terras-raras, nióbio e fosfatos em Araxá (MG). A empresa, que tem a propriedade total do projeto na área de 214 hectares, agora se prepara para instalar uma planta-piloto no local. “Os resultados confirmaram nossas expectativas de que a jazida de Araxá tem uma base significativa de recursos de óxidos de terras-raras com altos teores, quando comparada a outros depósitos no mundo”, comemora o CEO e vice chairman da MbAC Fertilizantes, Antenor Silva. Os óxidos de terras-raras compreendem um grupo de 17 elementos químicos, utilizados principalmente em aplicações de alta tecnologia. O mercado mundial é atualmente controlado pela China, responsável por mais de 90% do fornecimento mundial. A recente restrição chinesa de exportação destes minerais de alto valor agregado, pode gerar novas oportunidades de negócio para o Brasil. A estimativa independente no Projeto Araxá, que combinou recursos já medidos e indicados, mostrou a existência no local de 6,34 milhões de t de minérios, com 5,01% de óxidos totais de terras-raras, 8,40% de P2O5, matéria-prima para fertilizantes, e 1,02% de Nb2O5, o óxido de nióbio. Os recursos inferidos são de 21,94 milhões de t, com 3,99% de óxidos de terras-raras totais, 7,86% de P2O5 e 0,64% de Nb2O5. Os óxidos pesados de terras raras (HREO), somados ao óxido de ítrio (Y2O3), representam 2,48% dos óxidos de terras raras totais. O resultado completo da estimativa será registrado dentro do prazo legal de 45 dias. “A MbAC Fertilizantes planeja preparar uma avaliação econômica preliminar para o projeto, que deve ser entregue no terceiro trimestre deste ano, e construir uma planta-piloto no local para confirmar nossas estimativas de laboratório e a alta pureza do concentrado de óxidos de terras raras”, afirma o CEO. “Estamos muito entusiasmados com esses resultados e continuamos a discutir acordos com terceiros”.

 

Fonte: Brasil Mineral

Compartilhe:

LEIA TAMBÉM



LITOTECA DA CBPM É REABERTA

5 de outubro de 2015

Os interessados em fazer consultas em amostras de testemunhos de sondagem de projetos pesquisados pela Companhia Baiana de Pesquisa Mineral (CBPM) já podem programar visitas à Litoteca da empresa.

LEIA MAIS

Abertas inscrições do Programa Aprendiz da AngloGold Ashanti em Nova Lima (MG)

8 de agosto de 2019

São 60 vagas, das quais 20 exclusivas para pessoas com deficiência (PCD). Os cursos disponíveis são de operador de mina…

LEIA MAIS

III Semana de Engenharia de Minas da Universidade Federal da Bahia ocorre em novembro

29 de outubro de 2018

A Universidade Federal da Bahia (UFBA) promove em novembro, entre os dias 12 a 14, a III Semana de Engenharia de Minas…

LEIA MAIS