NOTÍCIAS

Metais Básicos têm direções distintas

18 de agosto de 2010

rnrn rnMercado segue pautado pelo enfraquecimento das perspectivas sobre demanda chinesa e também pelos contínuos recuos dos estoques em LondresrnrnOs contratos futuros dos metais básicos negociados na London Metal Exchange

n

n

 

nMercado segue pautado pelo enfraquecimento das perspectivas sobre demanda chinesa e também pelos contínuos recuos dos estoques em Londres

n

n

Os contratos futuros dos metais básicos negociados na London Metal Exchange (LME) têm direções divergentes, pressionados pelo enfraquecimento das perspectivas sobre a demanda da China. No entanto, os metais encontram certo suporte com os contínuos declínios dos estoques em Londres.

n

 

n

Às 8h23 (de Brasília), o contrato do cobre para três meses recuava 0,3%, para US$ 7.363,00 por tonelada, enquanto o de alumínio caía 0,6%, para US$ 2.128,00 por tonelada. O contrato do zinco para três meses avançava 0,4%, para US$ 2.131,00 por tonelada, enquanto o do níquel apresentava estabilidade, em US$ 21.950,00 por tonelada. O contrato do chumbo avançava 0,4%, para US$ 2.140,00, enquanto o do estanho caía 0,5%, para US$ 21.200,00 por tonelada.

n

 

n

Segundo os participantes do mercado, os temores sobre uma desaceleração da demanda da China, o maior consumidor de metais do mundo, estão aumentando, após as medidas adotadas pelo governo do país para esfriar o mercado imobiliário local.

n

 

n

“Visto que uma parte da demanda (da China) poder ser atendida pela produção doméstica, isso pode conduzir a uma queda das importações que, por sua vez, pode pressionar os preços dos metais”, afirmou o Commerzbank em nota.

n

 

n

Os preços do zinco também podem ficar sob pressão, diante das perspectivas de um aumento dos níveis de produção da China com a conclusão dos programas de manutenção sazonal das fundições do país.

n

 

n

As sustentadas quedas nos estoques dos metais básicos, com os do cobre apresentando seus patamares mais baixos desde novembro, continuam a dar suporte ao mercado, afirmaram os traders.

n

 

n

Os estoques do cobre recuaram 1.725 toneladas na terça-feira em Londres, para 403.300 toneladas. Os do zinco e do níquel também caíram, em 500 toneladas e 440 toneladas, respectivamente. Já os estoques do alumínio aumentaram 20.975 toneladas, para a 4.469.775 toneladas.

n

 

n

Os preços também estão encontrando certo suporte da renovada especulação sobre aquisições no setor de mineração, que está aumentando o apetite por risco dos players do mercado, destacou o Commerzbank.

n

 

n

Na Comex eletrônica, o cobre para dezembro recuava 0,01% para US$ 3,3580 por libra peso, às 9h25 (de Brasília). As informações são da Dow Jones.

n

 

n

Estadão

n

Compartilhe:

LEIA TAMBÉM



RMB firma parceria para desenvolver projeto inovador de manganês no Pará

3 de novembro de 2020

Acordo firmado entre a RMB e o grupo Sabes, vai proporcionar investimentos de aproximadamente US$ 200 milhões nos próximos três…

LEIA MAIS

CBPM e IBRAM firmam parceria para organização de eventos com empresários da mineração baiana

28 de janeiro de 2020

O CBPM Convida, evento mensal promovido pela Companhia Baiana de Pesquisa Mineral (CBPM), recebeu um reforço de peso para as próximas…

LEIA MAIS

Secretário de Mineração, Alexandre Vidigal, anuncia plano de ação para mineração

28 de janeiro de 2020

“A mineração é um produto muito bom. Não é propaganda enganosa”. As frases são do Secretário de Geologia, Mineração e…

LEIA MAIS