NOTÍCIAS

Mineração e indústria impulsionam Catalão

7 de janeiro de 2013

rnPIB de cidade goiana, localizada em ponto estratégico, cresce 480% em dez anos movido por extração de fosfato e fábricasrnCidade atrai gigantes como Anglo American, Vale, Mitsubishi e John Deere; PIB per capita supera o

rn

PIB de cidade goiana, localizada em ponto estratégico, cresce 480% em dez anos movido por extração de fosfato e fábricas

rn

Cidade atrai gigantes como Anglo American, Vale, Mitsubishi e John Deere; PIB per capita supera o de SP

rn

As imensas jazidas de titânio, nióbio e fosfato abertas no solo da cidade de Catalão (GO) são um reflexo do avanço da nova fronteira do agronegócio brasileiro.

rn

A cidade de 90 mil habitantes viu seu PIB (Produto Interno Bruto) crescer 478% em dez anos até 2010.

rn

No período, o valor do PIB per capita saltou para R$ 45,8 mil, superior ao de São Paulo (R$ 39,5 mil).

rn

O desempenho se deve à indústria, responsável por metade do PIB de R$ 3,97 bilhões em 2010, e pela extração mineral. Esses setores, por sua vez, são movidos pelas demandas da agricultura.

rn

O fosfato é exemplo disso. Utilizado para produzir fertilizantes, atraiu duas gigantes da área para Catalão.

rn

Lá a Vale possui um complexo focado na extração mineral e na produção de compostos químicos.

rn

Com área de 2.600 hectares (o equivalente a 2.600 campos de futebol), emprega 1.500 profissionais e tem capacidade para produzir 1 milhão de toneladas de rocha fosfática ao ano.

rn

Já a britânica Anglo American, por meio da Copebrás, também explora o fosfato na região e emprega 900 de seus 1.300 funcionários. Chega a produzir 1,3 milhão de toneladas de concentrado de fosfato por ano.

rn

A localização do município, a 100 km de Uberlândia (MG) e 260 km de Goiânia, ajuda a escoar a produção.

rn

“A localização é estratégica, pois no Centro-Oeste é produzida a maior parte dos grãos e do gado do país. De lá a Copebrás abastece a crescente agroindústria regional e nacional”, diz Ruben Fernandes, presidente dos negócios de Fosfato e Nióbio da Anglo American.

rn

Já o concentrado feito pela Vale em Catalão segue via ferrovia até o porto de Paranaguá (PR) ou é escoado porminerodutos.

rn

As gigantes levam para a região empresas como a Ultrafértil, que faz o beneficiamento de minério fosfatado.

rn

O rico subsolo de Catalão também possui jazidas de titânio, urânio e terras-raras -elementos minerais de difícil obtenção porque estão muito dispersos pela crosta terrestre.

rn

AMPLIAÇÃO

rn

Em dez anos, Catalão se firmou também como polo industrial. A oferta de mão de obra abastece os fornecedores de máquinas e equipamentos -são cerca de 50 empresas instaladas no distrito industrial da cidade.

rn

Também para aproveitar a boa localização, a John Deere se instalou na cidade em 1999 para produzir colhedoras de cana e pulverizadores. Nos últimos dois anos, a empresa investiu R$ 60 milhões em ampliações.

rn

“É uma das fábricas mais modernas do mundo na produção desse tipo de equipamento”, afirma Leo Marobin, gerente da fábrica, que tem 660 empregados.

rn

Além da logística, o clima -que ajuda na produção de sementes de alta qualidade- influiu na escolha da DuPont Pioneer do Brasil.

rn

A unidade na cidade foi inaugurada em novembro passado. Deve começar a operar neste mês com capacidade para processar 2 milhões de sacas de 40 quilos ao ano.

rn

Segundo Roberto de Rissi, diretor da unidade, foram investidos US$ 62 milhões na instalação da fábrica. A Pioneer vai quase duplicar a capacidade atual de produção no Brasil, concentrada em Planaltina (DF).

rn

“É a maior e mais moderna unidade de beneficiamento de sementes de soja da empresa no mundo”, diz Rissi.

rn

Também presente no distrito, a montadora Mitsubishi emprega 2.700 funcionários.

rn

A empresa passa por um processo de ampliação que consumirá R$ 1,2 bilhão em investimento. O dinheiro será gasto na construção de uma fábrica de motores, na instalação de uma nova área de pintura, na ampliação da linhas de montagem e na modernização da produção.

rn

No primeiro semestre, deve passar a montar na cidade o modelo ASX. Outros dois virão ainda neste ano.

rn

 

Fonte: Folha de S. Paulo

Compartilhe:

LEIA TAMBÉM



Serabi aumenta reservas de ouro em 31%

12 de dezembro de 2017

A Serabi Gold disse ontem (11) que a nova estimativa de reservas minerais provadas e prováveis para as minas de…

LEIA MAIS

LITOTECA DA CBPM É REABERTA

5 de outubro de 2015

Os interessados em fazer consultas em amostras de testemunhos de sondagem de projetos pesquisados pela Companhia Baiana de Pesquisa Mineral (CBPM) já podem programar visitas à Litoteca da empresa.

LEIA MAIS

Venda interna de aço cresce 2,3% em 2017

23 de janeiro de 2018

As vendas internas cresceram 2,3% em 2017 e atingiram 16,9 milhões de toneladas, de acordo com dados do Instituto Aço…

LEIA MAIS