NOTÍCIAS

MPX e MMX mudam contrato para fornecimento de energia a Serra Azul

3 de maio de 2012

rn MPX e a MMX – empresas de energia e mineração do grupo EBX, do empresário Eike Batista – firmaram um aditivo ao contrato de compra e venda de energia elétrica anunciado no ano passado.rnNos termos do aditivo, de ja

rn

 MPX e a MMX – empresas de energia e mineração do grupo EBX, do empresário Eike Batista – firmaram um aditivo ao contrato de compra e venda de energia elétrica anunciado no ano passado.

rn

Nos termos do aditivo, de janeiro de 2014 a dezembro de 2018 a MPX fornecerá energia para a Unidade Serra Azul da MMX por meio de um contrato bilateral no mercado livre, a um preço de R$ 102 por megawatt-hora (data-base de novembro de 2011).

rn

Segundo o cronograma, em 2014 a MPX venderá o equivalente a 64 megawatts (MW) médios. Em 2015 serão vendidos 185 MW médios e entre 2016 e 2018 serão vendidos 200 MW médios por ano.

rn

No contrato anterior, as duas companhias firmaram acordo no qual a geradora de energia forneceria 200 MW médios à mineradora, a partir de maio de 2014, pelo período de 15 anos. O preço-base do contrato era de R$ 125 por MWh, o que corresponderia a um valor total de R$ 3,3 bilhões para o negócio.

rn

De janeiro de 2019 a maio de 2029, os termos do contrato original de fornecimento de energia permanecem inalterados. A UTE Parnaíba, da MPX, fornecerá 200 megawatts médios, ao preço-base de R$ 125 por megawatts-hora (data base de maio de 2011), utilizando a estrutura de autoprodução.

rn

“A vantagem de um contrato de autoprodução em relação a um contrato bilateral de compra e venda de energia no mercado livre está relacionada à isenção de encargos do setor de energia, os quais, atualmente, totalizam aproximadamente R$ 40/MWh”, disseram as companhias em nota.

rn

Um aditivo também foi assinado com partes diversas, substituindo o contrato de autoprodução de 30 MW médios por cinco anos, por um contrato bilateral no mercado livre com a MPX Comercializadora de Energia, a partir de janeiro de 2013.

rn

 

Fonte: Valor Econômico

Compartilhe:

LEIA TAMBÉM



Cazaquistão recebe este ano o World Mining Congress

16 de abril de 2018

Com uma gama diversificada de commodities minerais, o Cazaquistão é o maior produtor mundial de urânio, o segundo maior de cromita e…

LEIA MAIS

Apesar de queda da cotação do ferro, receita do Brasil deve ser estável

27 de novembro de 2018

Cotação internacional do minério de ferro recuou de mais de 8% A cotação da tonelada de minério de ferro caiu…

LEIA MAIS

Congresso Aço Brasil 2019 debate o futuro do setor

8 de agosto de 2019

Nos dias 20 e 21 de agosto, em Brasília, o Instituto Aço Brasil reunirá autoridades, empresários e especialistas para debater…

LEIA MAIS