NOTÍCIAS

Navio carregado com minério de ferro quebra após sair do Maranhão

23 de março de 2012

rnO navio Spring Sweetbrier, de bandeira do Panamá, que saiu da Ponta da Madeira no último dia 6 de março, carregado de minério de ferro com destino ao Japão, sofreu uma avaria. Segundo a Capitania dos Portos do Mar

rn

O navio Spring Sweetbrier, de bandeira do Panamá, que saiu da Ponta da Madeira no último dia 6 de março, carregado de minério de ferro com destino ao Japão, sofreu uma avaria. Segundo a Capitania dos Portos do Maranhão, a embarcação foi afastada para a área 3, local onde estão sendo efetuados os reparos.

rn

A Capitania dos Portos informou também que o navio deve seguir viagem na primeira semana do mês de abril. Logo após, será levado para um estaleiro. Enquanto isso, já foi aberto um inquérito administrativo para saber se houve falha humana ou defeito de fabricação.

rn

O navio Spring Sweetbrier está afastado cerca de 40 km da Costa maranhense. A embarcação tem capacidade para 209 mil toneladas de carga, medindo 320 m de comprimento e 54 m de largura.

rn

Na tarde desta quinta-feira (22), o G1 recebeu uma nota oficial da Capitania dos Portos do Maranhão. No documento, descarta risco de afundamento ou poluição hídrica, mesmo havendo entrada de água na embarcação. A Capitania confirmou que a previsão de saída do navio será no dia 10 de abril.

rn

 

Fonte: Portal G1

Compartilhe:

LEIA TAMBÉM



Vale anuncia a venda dos seus ativos de nitrogenados e fosfatado em Cubatão à Yara

21 de novembro de 2017

A Vale informa que celebrou um acordo de compra de cotas com Yara International ASA, empresa listada na Bolsa de…

LEIA MAIS

Projeto de terras-raras vai produzir 5 mil toneladas por ano em Goiás

13 de novembro de 2017

A Mineração Serra Verde (MSV) trabalha para produzir anualmente 5 mil toneladas de concentrado de terras-raras no projeto que possui…

LEIA MAIS

Produção da Vale bate recorde no trimestre

20 de outubro de 2017

O complexo atingiu recorde trimestral de 45 Mt no terceiro trimestre, ao produzir 8,5% a mais do que no segundo trimestre.

LEIA MAIS