NOTÍCIAS

Novo marco regulatório pode sair do papel

1 de fevereiro de 2013

rnApós um longo período de silêncio em relação ao novo marco regulatório da mineração, o governo federal sinaliza que manterá as discussões com os diversos segmentos ligados &a

rn

Após um longo período de silêncio em relação ao novo marco regulatório da mineração, o governo federal sinaliza que manterá as discussões com os diversos segmentos ligados à atividade. De acordo com o presidente da Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa Mineral (ABPM), Elmer Prata Salomão, novas reuniões com a Casa Civil deverão ser agendadas após o feriado de Carnaval. Além disso, a entidade prepara estudos que irão ajudar na elaboração das novas regras.

rn

De acordo com Salomão, a reunião realizada na semana passada com a ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffman, e com representantes do Ministério de Minas e Energia (MME) serviu para abrir o diálogo entre o governo e a indústria extrativa mineral. “O encontro tratou de assuntos gerais do setor”, afirma.

rn

Outros encontros serão agendados nas próximas semanas, inclusive para apresentar os estudos solicitados pelo governo. Salomão afirmou que a intenção é concluir até março esta fase de criação do novo marco da mineração. “Ficamos satisfeitos com a postura da ministra de ouvir o setor, pois demonstra que há espaço para melhorar as relações”, diz.

rn

Entre os pontos discutidos está a intenção do governo de licitar as áreas para pesquisa, visando acelerar a produção mineral e afastar os especuladores. Porém, para a associação, a substituição do atual regime de prioridade por um processo licitatório afugentaria capitais estrangeiros e excluiria as companhias juniores do setor.

rn

Portfólio

A ABPM sugeriu à ministra da Casa Civil que testasse o modelo colocando em licitação o portfólio da estatal Serviço Geológico do Brasil (CPRM). Em contrapartida, o governo solicitou que a associação fizesse um estudo profundo deste tema e apresentasse sugestões para definir o alcance de um eventual processo licitatório conciliado à preservação da dinâmica de exploração.

rn

Além disso, a entidade irá preparar um estudo, também a pedido da Casa Civil, para sugerir formas de conter a especulação no setor. Isto se dá em função de requerimentos de áreas de pesquisa feitos por leigos.

rn

Segundo Salomão, a ABPM também apresentou à ministra os problemas enfrentados pelo setor em função da paralisação da concessão de outorgas por parte do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM) e Ministério de Minas e Energia (MME). “Nós apresentamos nossos argumentos, porém, não cobramos nenhuma promessa”, diz.

rn

As concessões de licenças e autorizações para pesquisa, principalmente para os segmentos de minerais metálicos, estão paralisadas há mais de um ano no país. A paralisação se deu em função da intenção do governo de implantar um novo marco para o setor.

rn

A medida tornou a situação insustentável para algumas empresas, que estão postergando investimentos e registrando prejuízos. Algumas mineradoras recorreram à Justiça para obrigar o órgão federal a emitir as outorgas. No Pará, por exemplo, a Justiça Federal determinou neste mês a publicação de uma autorização de pesquisa por parte do DNPM.

rn

 

rn

 

rn

 

Fonte: Diário do Comércio

Compartilhe:

LEIA TAMBÉM



Apesar de queda da cotação do ferro, receita do Brasil deve ser estável

27 de novembro de 2018

Cotação internacional do minério de ferro recuou de mais de 8% A cotação da tonelada de minério de ferro caiu…

LEIA MAIS

Desafio MinerALL traz propostas de negócios a partir do aproveitamento do rejeito da mineração

17 de dezembro de 2018

Uma solução de negócio que propõe a pavimentação de baixo custo foi a vencedora do Desafio MinerALL, iniciativa que tem…

LEIA MAIS

IBRAM promove encontro em Belém para divulgar EXPOSIBRAM 2020

18 de fevereiro de 2020

O diretor de Comunicação do Instituto Brasileiro de Mineração (IBRAM), Paulo Henrique Soares, esteve nesta segunda-feira (17/2) em Belém (PA)…

LEIA MAIS