NOTÍCIAS

Pesquisas minerárias têm alta em Minas

9 de maio de 2012

rnRelatórios aprovados pelo DNPM em Minas registraram um crescimento de 217,6% no primeiro trimestre. rnConforme levantamento do Ibram, entre 2011 e 2015, devem ser aportados US$ 2,4 bilhões no setor minerário do país

rn

Relatórios aprovados pelo DNPM em Minas registraram um crescimento de 217,6% no primeiro trimestre. 

rn

Conforme levantamento do Ibram, entre 2011 e 2015, devem ser aportados US$ 2,4 bilhões no setor minerário do país

rn

Os relatórios de pesquisa minerária aprovados pela superintendência do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM) em Minas Gerais registraram um crescimento de 217,6%, mais que o triplo, no primeiro trimestre deste ano em comparação com o mesmo período de 2011. Neste confronto, foram 108 contra 34.

rn

Para o professor do Departamento de Engenharia de Minas da Universidade Federal de Ouro Preto (Ufop), Hernani Mota de Lima, a demanda por pesquisa minerária em Minas está crescendo graças às possibilidades trazidas pela nova fronteira minerária no Norte de Minas e às jazidas de ouro espalhadas pelo Estado, especialmente. “No Quadrilátero Ferrífero a procura também é grande”, acrescenta.

rn

De acordo com informações do DNPM, no primeiro trimestre, Minas Gerais teve uma participação de 25,4% em relação ao número total de relatórios de pesquisas minerárias aprovados pelo departamento. No período, o Estado ficou na liderança no ranking nacional com 10,1 pontos percentuais de vantagem ao Paraná, que ficou na segundo posição com 14,3%.

rn

Na avaliação do professor, o direcionamento dos pedidos de pesquisa para o Norte de Minas, onde as reservas estão estimadas em 20 bilhões de toneladas de minério de ferro de baixo teor, está associado à evolução das tecnologias de beneficiamento e à forte demanda chinesa.

rn

Desde que a região foi anunciada como a nova fronteira minerária do Estado, em 2007, as reservas espalhadas em uma área que abrange 20 municípios já atraíram a atenção de investidores e grandes players nacionais e internacionais realizam pesquisas no local.

rn

Ouro – A valorização do ouro no mercado mundial, que se intensificou desde a crise de 2008/09 e ganhou mais força com os recentes rombos fiscais dos Estados Unidos e da zona do euro, é outro aspecto que levou ao crescimento do número de pesquisas relacionadas ao metal no Estado, que é responsável por praticamente a metade da produção nacional.

rn

De acordo com levantamento do Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram), entre 2011 e 2015, devem ser aportados no segmento US$ 2,4 bilhões e Minas Gerais deve receber pelo menos 50% desse montante (US$ 1,2 bilhão). Atualmente, o metal é o terceiro principal item da pauta exportadora mineira, com participação de 5,1%.

rn

Ainda conforme os números do DNPM, os requerimentos de lavra no Estado durante o primeiro trimestre somaram 45, 125%, mais que o dobro, de crescimento em relação ao número registrado nos mesmos meses de 2011 (20).

rn

O aquecimento das atividades do setor também pode ser mensurado pela arrecadação da Compensação Financeira sobre a Exploração de Recursos Minerais (Cfem) no Estado. No acumulado dos primeiros quatro meses deste ano foi verificada uma elevação de 5% ante o idêntico intervalo do ano passado. O resultado passou de R$ 225,093 milhões para R$ 236,472 milhões.

rn

 

Fonte: Diario do Com̩rcio РMG

Compartilhe:

LEIA TAMBÉM



RMB firma parceria para desenvolver projeto inovador de manganês no Pará

3 de novembro de 2020

Acordo firmado entre a RMB e o grupo Sabes, vai proporcionar investimentos de aproximadamente US$ 200 milhões nos próximos três…

LEIA MAIS

Estão abertas inscrições para treinamento sobre Apreciação de Risco em Máquinas da Schmersal

22 de outubro de 2018

Multinacional alemã líder mundial em sistemas de segurança para máquinas industriais, a Schmersal divulga o inicio das inscrições para o…

LEIA MAIS

MINÉRIO DE FERRO: Preço tem leve alta no mercado futuro

1 de novembro de 2017

O contrato mais negociado no mercado futuro de minério de ferro, na China, com vencimento em janeiro de 2018, passou de 428 para 429,5 iuanes, ou US$ 65,09 a tonelada, de acordo com o câmbio.

LEIA MAIS