NOTÍCIAS

Preço do minério de ferro não deve voltar a cair, avalia Credit Suisse

15 de fevereiro de 2012

rnApós a queda em um terço do preço do minério de ferro em outubro, com o valor no mercado à vista da China chegando a US$ 116 por tonelada, muitos analistas esperavam por uma deterioração ainda maior

rn

Após a queda em um terço do preço do minério de ferro em outubro, com o valor no mercado à vista da China chegando a US$ 116 por tonelada, muitos analistas esperavam por uma deterioração ainda maior do mercado de aço chinês, entretanto, o Credit Suisse discorda dessa visão, uma vez que o preço mostrou uma recuperação gradual em janeiro.

rn

“Continuamos mais otimistas que o consenso do mercado, com a expectativa de crescimento de 4% da produção global de ferro até o final de dezembro de 2012. Também permanecemos cautelosos com o iminente crescimento da oferta”, afirma a equipe de análise do banco suíço.

rn

Cenário macroeconômico pressiona demanda

rn

Os analistas Ivano Westin e Carlos Louro esperam que o preço do minério de ferro mantenha-se entre US$ 130 e US$ 140 por tonelada em boa parte do primeiro trimestre deste ano, chegando a testar valores mais elevados, mas pressionado pelas preocupações com a economia global.

rn

“Enquanto as preocupações macroeconômicos persistirem, as siderúrgicas devem manter o atual modelo de compra de matérias-primas sensíveis ao custo. Com a melhora do cenário ao longo do ano, devemos perceber uma elevação da produtividade, aumentando a procura por minério de ferro”, acreditam os analistas.

rn

Manutenção do preço

rn

O modelo de análise do Credit Suisse indica que o preço da commodity deve se manter nos níveis atuais, uma vez que a expansão do abastecimento irá demorar mais do que o esperado. Os reveses dos projetos australiano e brasileiro e a queda das exportações da Índia são alguns dos responsáveis pelo desequilíbrio do mercado, segundo o banco.

rn

“O índice de preços estão oferecendo margens adequadas para manter os níveis de produção elevados, mas seria necessário um aumento de 30% nas exportações indianas para o aumento dos preços, que será suportado por uma valorização gradual do yuan e aumento dos custos operacionais, compensados de alguma forma pelas siderúrgicas”, conclui o banco.

rn

 

rn

 

Fonte: Info Money

Compartilhe:

LEIA TAMBÉM



Sindirochas e Abirochas juntos no MME para discutir a CFEM

3 de dezembro de 2018

Os presidentes do Sindirochas, Tales Machado, e Abirochas, Reinaldo Sampaio, se reuniram com a Secretária de Geologia e Mineração e…

LEIA MAIS

Vale cria Diretoria de Investimento Social

10 de dezembro de 2018

Hugo Barreto, ex-secretário-geral da Fundação Roberto Marinho, será o responsável pelos projetos sócio-culturais da empresa e pela Fundação Vale A…

LEIA MAIS

Guia de boas práticas aborda etapas de ciclo de vida de barragens e outras estruturas de disposição de rejeitos

8 de agosto de 2019

A minuta do ‘Guia de Boas Práticas de Gestão de Barragens e Estruturas de Disposição de Rejeitos’, que está em fase…

LEIA MAIS