NOTÍCIAS

Projeto combate trabalho infantil e insere adolescentes em programas de aprendizagem

26 de setembro de 2017

A iniciativa faz do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil da Justiça do Trabalho e foi implantada no ano passado, beneficiando mais de 2 mil alunos de escolas públicas, entre 14 e 19 anos.

Segundo a última Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios feita Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), embora tenha ocorrido a redução no índice de trabalho infantil em 25%, o Estado do Pará ainda registra 168.421 trabalhadores considerados infantis, com maior concentração entre os adolescentes de 15 a 17 anos. Esse cenário tem mobilizado a Comissão de Combate ao Trabalho Infantil e de Estímulo à Aprendizagem do TRT8 a promover diversas ações para erradicação do trabalho infantil, entre elas o Acadêmico Padrinho Cidadão, que tem dado a milhares de jovens o direito de sonhar com uma nova perspectiva de vida e com um futuro profissional de êxito.
 
A iniciativa faz do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil da Justiça do Trabalho e foi implantada no ano passado, beneficiando mais de 2 mil alunos de escolas públicas, entre 14 e 19 anos. Os resultados demonstram a importância do projeto: cerca de 400 estudantes “afilhados” foram retirados da condição de trabalhadores infantis e absorvidos em programas de aprendizagem pelas empresas parceiras.
 
“Desde o início do desenvolvimento do programa regional, até hoje, já somam mais de 150 os parceiros da Comissão do TRT8. Importante ressaltar que cada um pode contribuir de alguma forma para a eliminação do trabalho infantil e do mal que ele provoca a toda sociedade. Sendo isso mais que um gesto de solidariedade, consciência e responsabilidade social, um gesto de amor ao próximo”, ressalta a Juíza do Trabalho, Vanilza Malcher, que é Gestora Regional do Programa de Combate ao Trabalho Infantil e de Estímulo à Aprendizagem.
 
Uma das grandes parceiras do programa é a Alubar, com sede em Barcarena. Líder na fabricação de cabos elétricos de alumínio e produtora de condutores elétricos de cobre para média e baixa tensão, a empresa absorveu no ano passado quatro jovens aprendizes e este mês recebeu mais oito estudantes. Além oferecer a oportunidade de vivenciar uma experiência profissional, a fábrica investe na profissionalização dos alunos por meio de cursos de capacitação no Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), como forma de prepará-los para o mercado de trabalho.
 
Para o Diretor Executivo da Alubar Metais e Cabos, Maurício Gouvea, a iniciativa está alinhada ao planejamento da empresa no quesito de desenvolvimento de pessoas. “Sabemos da realidade que estes jovens vivenciaram. E, por isso, mais do que uma oportunidade para que eles possam se inserir no mercado de trabalho, a Alubar enxerga essa iniciativa e parceria como um compromisso para a transformação social de forma positiva de nossa região. Estamos muito felizes de poder contribuir com estes jovens e para que, quem sabe, tenhamos grandes profissionais no futuro fazendo a diferença na nossa sociedade”, comenta Maurício.
 
Novo olhar

O Acadêmico Padrinho Cidadão conta com o apoio voluntário de dezenas de universitários, que dedicam uma parte do tempo para reunir os alunos que assistem e incentivá-los a estudar, aproveitar as oportunidades de capacitação e ter atitudes de cidadania. O estudante de Direito, Thales Roberto de Souza, 19 anos, é “padrinho” há um ano e afirma que abraça o projeto por ser uma causa verdadeiramente nobre. “O projeto é muito importante para dar um novo olhar a esses jovens, que muitas vezes são vítimas do trabalho infantil. Vi a oportunidade de doar esse tempo e mostrar essa visão de um futuro com mais qualidade de vida para os alunos. Sou muito feliz com os meus afilhados, pois percebo a evolução e me alegro com as conquistas”, declara.
 
O acadêmico já colhe os frutos do projeto. Muitos de seus afilhados foram contratados como aprendizes. Foi o caso de Jesevany Vieira, 16 anos. Estudante da Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Eduardo Angelim, em Barcarena, ingressou esta semana no Programa de Aprendizagem da Alubar. “Isso significa muito para mim e tenho certeza de que é o primeiro passo para minha vida profissional e que também terá impacto na minha vida pessoal. O Acadêmico Padrinho Cidadão é importante porque abre novas portas para nós jovens e nos faz ter uma visão de futuro e a buscar coisas que pareciam distantes pelo simples fato de não sonhar com elas”, diz Jesevany, que sonha seguir a carreira de administração ou psicologia e também fazer intercâmbio em outros países.
Compartilhe:

LEIA TAMBÉM



Simpósio Brasileiro do Diamante desperta interesse internacional

1 de outubro de 2018

O 7º Simpósio Brasileiro de Geologia do Diamante, acontecerá em Salvador, na Bahia, e está atraindo palestrantes e representantes de…

LEIA MAIS

Entidades buscam resolução para demanda represada no embarque de rochas ornamentais

5 de novembro de 2018

Com apoio do Governo do Espírito Santo, Sindicato das Indústrias de Rochas Ornamentais, Cal e Calcário do Estado do Espírito…

LEIA MAIS

Serabi aumenta reservas de ouro em 31%

12 de dezembro de 2017

A Serabi Gold disse ontem (11) que a nova estimativa de reservas minerais provadas e prováveis para as minas de…

LEIA MAIS