NOTÍCIAS

Projeto de Lei sobre royalties para estados mineradores deve ser apreciado pelo Senado

18 de junho de 2012

O senador Aécio Neves está confiante que a matéria deverá entrar na pauta até o final deste mêsrnO senador Aécio Neves disse nesta segunda-feira, em Belo Horizonte, que o projeto de lei propondo revis&a

O senador Aécio Neves está confiante que a matéria deverá entrar na pauta até o final deste mês

rn

O senador Aécio Neves disse nesta segunda-feira, em Belo Horizonte, que o projeto de lei propondo revisão das alíquotas dos royaties destinados aos estados mineradores deverá ser apreciado, em comissão especial do Senado, até o final deste mês. O senador participou na manhã desta segunda-feira, no Palácio da Liberdade, do lançamento de campanha publicitária do governo de Minas para conscientizar a população sobre as graves perdas provocadas não apenas pela

rn

desoneração tributária sobre as exportações da produção mineral, como também pelas baixas alíquotas que incidem sobre a produção de minério de ferro.

rn

As alíquotas da Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (Cfem), os chamados royalties do minério que hoje incidem sobre a produção líquida, de 2%, estão longe do que tributam países como Índia, Austrália e Rússia, respectivamente 10%, 7,5% e 4,8%, em geral sobre o valor da venda.

rn

A campanha “Movimento justiça ainda que tardia”conta com o apoio da seccional mineira da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-MG), do escritório de representação de Associação Brasileira de Imprensa (ABI) e da Associação Mineira de Municípios (AMM).

rn

As alíquotas da Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (Cfem), os chamados royalties do minério que hoje incidem sobre a produção líquida, de 2%, estão longe do que tributam países como Índia, Austrália e Rússia, respectivamente 10%, 7,5% e 4,8%, em geral sobre o valor da venda.

rn

Ainda inevitável é a comparação entre os royalties cobrados pela produção de minério e a produção de petróleo. A alíquota é de 10% sobre o faturamento bruto das petroleiras. Para além da questão tributária, a ação de mineradoras deixa um profundo passivo ambiental e social sobre a extração de um produto que não é renovável.

rn

A campanha do governo enfatiza que o Brasil é o maior produtor mundial de minério de ferro: detém mais de 50% da indústria siderúrgica da América Latina. Estão em Minas, Goiás, Pará e Mato Grosso do Sul as maiores reservas de minério de ferro do país. A cobrança de royalties se justifica, como mostrará o governo, pela compensação do esgotamento dessas reservas. Nesse sentido, é necessário equiparar as alíquotas cobradas por meio da Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (Cfem) aos padrões internacionais.

rn

Prejuízos para Minas

rn

» Em vigor desde setembro de 1996, a Lei Kandir desonerou as exportações sobre produtos primários e semielaborados. Estados como Minas Gerais e outros exportadores até hoje não foram compensados pela política do governo federal de incentivo às exportações. Estudos dão conta de que entre 1996 e 2009 estados exportadores de produtos primários deixaram de arrecadar R$ 223 bilhões em ICMS. Nesse período receberam apenas R$ 76,6 bilhões em compensação do governo federal. O passivo da União para com os estados chega a R$ 146,3 bilhões no período.

rn

» Além da desoneração da tributação sobre a extração mineral do estado, os royalties que incidem sobre a exploração do minério – de 2% sobre o faturamento líquido – são muito baixos face aos royalties do petróleo – de 10% sobre o faturamento bruto das petroleiras – e em relação aos royalties cobrados por outros países mineradores.

rn

» O produto primário não é renovável e leva ao exaurimento das reservas. Prefeitos e o estado têm reiterado queixas de que a atividade mineradora deixa um considerável passivo ambiental e social. A reivindicação é pela demarcação imediata de áreas de preservação permanente no estado que possam compensar o impacto da atividade.

rn

Projetos de interesse do estado no Congresso

rn

No Senado

rn

» Substitutivo do senador Aécio Neves (PSDB), a matéria do senador Flexa Ribeiro (PSDB-PA) sobe dos atuais 2% da receita líquida para 5% da receita bruta a cobrança da Cfem.

rn

Na Câmara dos Deputados

rn

» Projeto de lei do deputado federal Jaime Martins (PR) propõe o retorno da cobrança do ICMS sobre os produtos não renováveis.

rn

» Projeto de lei apresentado pelo ex-deputado federal Zé Fernando, atualmente no PPS, altera as leis 7.990, de 28 de dezembro de 1989, e 8.001, de 13 de março de 1990, que regulamentam a compensação financeira pela exploração de recursos minerais, e cria uma participação especial para o setor mineral. Está apensado a vários outros projetos que tratam do mesmo tema.

 

Fonte: Estado de Minas

Compartilhe:

LEIA TAMBÉM



Centro de Tecnologia de Ferrosos da Vale completa 10 anos

15 de outubro de 2018

A Vale possui um dos mais avançados centros de pesquisas na aplicação de minério de ferro e carvão na siderurgia….

LEIA MAIS

Inscrições abertas para submissão de trabalhos na Minexcellence 2019

10 de setembro de 2018

O 4º Seminário Internacional de Excelência Operacional em Mineração (Minexcellence 2019) será realizado em Santiago, no Chile, entre os dias…

LEIA MAIS

Estão abertas inscrições para treinamento sobre Apreciação de Risco em Máquinas da Schmersal

22 de outubro de 2018

Multinacional alemã líder mundial em sistemas de segurança para máquinas industriais, a Schmersal divulga o inicio das inscrições para o…

LEIA MAIS