NOTÍCIAS

Projeto Tocantinzinho prevê lavra e beneficiamento de ouro em Itaituba

11 de junho de 2012

rnA Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) promove quinta-feira (14), às 10 horas, audiência pública na Câmara Municipal de Itaituba, no sudoeste do Pará, para informar a comunidade sobre o projeto Toc

rn

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) promove quinta-feira (14), às 10 horas, audiência pública na Câmara Municipal de Itaituba, no sudoeste do Pará, para informar a comunidade sobre o projeto Tocantinzinho, que pretende usar tecnologia industrial para lavra e beneficiamento de ouro e debater o Estudo de Impacto Ambiental (EIA) apresentado pela empresa Brazauro Recursos Minerais, dona do empreendimento.

rn

O resultado da audiência vai subsidiar o parecer técnico da Sema para a concessão ou veto da licença prévia solicitada para a obra. Segundo o EIA/ Rima em análise, o projeto Tocantinzinho é uma mina a céu aberto localizada na província mineral do Tapajós, a 200 quilômetros da cidade de Itaituba, que ficará em uma área antes ocupada por garimpeiros artesanais.

rn

Com reservas estimadas de 60 toneladas de ouro e vida útil em torno de onze anos de operação, o produto final beneficiado será ouro em barras e a empresa diz ter capacidade de produção de 4,9 toneladas ao ano, com 94% de pureza.

rn

As emissões, os impactos ambientais previstos nas áreas de influência vindos da implantação e operação do empreendimento e os programas e projetos de controle ambiental necessários à contenção dos prováveis impactos negativos aos meios físico, biótico e socioeconômico são informações que permitem aos técnicos da Sema definirem a liberação ou não do licenciamento ambiental.

rn

O projeto Tocantinzinho prevê, entre outras interferências no meio ambiente, a construção de uma linha de transmissão de energia, para o funcionamento da mina, a partir do município de Novo Progresso. A logística do processo industrial também vai usar barragem de rejeitos, pista de pouso e outras obras necessárias de supressão vegetal, terraplanagem e abertura e construção de estradas para viabilizar a lavra e o beneficiamento do ouro.

rn

rn

Os empreendedores defendem que o incremento da participação no mercado internacional do ouro vai gerar divisas ao Brasil, além de emprego e renda, substituindo o atual garimpo precário sem controle ambiental por uma extração mineral técnica com cuidados ambientais.

rn

rn

 

Fonte: Agência Pará de Notícias

Compartilhe:

LEIA TAMBÉM



Mineração Usiminas adota nova tecnologia para dispor rejeitos

26 de junho de 2018

A Mineração Usiminas (Musa) protocolou na Superintendência Regional de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Supram) o pedido de licenciamento ambiental…

LEIA MAIS

Programação da EXPOSIBRAM 2019 é construída de forma colaborativa

12 de novembro de 2018

Em pesquisa realizada pela internet, interessados em participar da próxima edição da Expo & Congresso Brasileiro de Mineração indicaram os…

LEIA MAIS

Gerdau apoia workshop do projeto Gustavo Penna 73/23

19 de novembro de 2018

Hoje e amanhã (19 e 20 de novembro), a Escola de Arquitetura e Urbanismo da PUC Minas – Poços de…

LEIA MAIS