NOTÍCIAS

Projeto Tocantinzinho prevê lavra e beneficiamento de ouro em Itaituba

11 de junho de 2012

rnA Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) promove quinta-feira (14), às 10 horas, audiência pública na Câmara Municipal de Itaituba, no sudoeste do Pará, para informar a comunidade sobre o projeto Toc

rn

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) promove quinta-feira (14), às 10 horas, audiência pública na Câmara Municipal de Itaituba, no sudoeste do Pará, para informar a comunidade sobre o projeto Tocantinzinho, que pretende usar tecnologia industrial para lavra e beneficiamento de ouro e debater o Estudo de Impacto Ambiental (EIA) apresentado pela empresa Brazauro Recursos Minerais, dona do empreendimento.

rn

O resultado da audiência vai subsidiar o parecer técnico da Sema para a concessão ou veto da licença prévia solicitada para a obra. Segundo o EIA/ Rima em análise, o projeto Tocantinzinho é uma mina a céu aberto localizada na província mineral do Tapajós, a 200 quilômetros da cidade de Itaituba, que ficará em uma área antes ocupada por garimpeiros artesanais.

rn

Com reservas estimadas de 60 toneladas de ouro e vida útil em torno de onze anos de operação, o produto final beneficiado será ouro em barras e a empresa diz ter capacidade de produção de 4,9 toneladas ao ano, com 94% de pureza.

rn

As emissões, os impactos ambientais previstos nas áreas de influência vindos da implantação e operação do empreendimento e os programas e projetos de controle ambiental necessários à contenção dos prováveis impactos negativos aos meios físico, biótico e socioeconômico são informações que permitem aos técnicos da Sema definirem a liberação ou não do licenciamento ambiental.

rn

O projeto Tocantinzinho prevê, entre outras interferências no meio ambiente, a construção de uma linha de transmissão de energia, para o funcionamento da mina, a partir do município de Novo Progresso. A logística do processo industrial também vai usar barragem de rejeitos, pista de pouso e outras obras necessárias de supressão vegetal, terraplanagem e abertura e construção de estradas para viabilizar a lavra e o beneficiamento do ouro.

rn

rn

Os empreendedores defendem que o incremento da participação no mercado internacional do ouro vai gerar divisas ao Brasil, além de emprego e renda, substituindo o atual garimpo precário sem controle ambiental por uma extração mineral técnica com cuidados ambientais.

rn

rn

 

Fonte: Agência Pará de Notícias

Compartilhe:

LEIA TAMBÉM



AngloGold Ashanti aprimora frota de subsolo

14 de janeiro de 2019

Dois novos jumbos, com investimento de R$ 10 milhões, foram adquiridos para operações de Minas Gerais Cerca de R$ 10…

LEIA MAIS

Congresso Aço Brasil 2019 debate o futuro do setor

8 de agosto de 2019

Nos dias 20 e 21 de agosto, em Brasília, o Instituto Aço Brasil reunirá autoridades, empresários e especialistas para debater…

LEIA MAIS

Votorantim Cimentos apoia projeto de resgate histórico-cultural em Corumbá (MS)

17 de dezembro de 2018

Projeto “Todo Lugar tem uma História para Contar”, do Museu da Pessoa, reuniu histórias de vida dos moradores que impulsionou…

LEIA MAIS