NOTÍCIAS

Relacionamento com a sociedade em debate na Exposibram

10 de setembro de 2015

Congresso discute também os novos desafios do setorrnO 16º Congresso Brasileiro de Mineração, que acontece junto com à “16ª Edição da Exposição Internacional de Mineraçã

Congresso discute também os novos desafios do setor

rn

O 16º Congresso Brasileiro de Mineração, que acontece junto com à “16ª Edição da Exposição Internacional de Mineração” (EXPOSIBRAM), entre os dias 14 e 17 deste mês, no Centro de Feiras e Exposições George Norman Kutova (Expominas), em Belo Horizonte, trará uma programação que tem a inovação na mineração como tema principal das palestras e painéis. Porém, não se trata apenas da inovação tecnológica, mas de novas práticas de relacionamento com a sociedade, da inserção das pequenas e médias mineradoras no desenvolvimento regional e dos novos desafios do setor.

rn

“No próximo ano, o Brasil sedia o World Mining Congress e buscamos conectar os temas de agora com esse evento. Trabalhamos, então, a linha da inovação, mas não só a inovação tecnológica, mas novas abordagens sociais, que é onde estão os maiores desafios para a mineração nos próximos anos. Provocar essas discussões é parte da missão do Instituto Brasileiro de Mineração – IBRAM(www.ibram.org.br)“, frisou o diretor de Assuntos Ambientais do IBRAM, Rinaldo Mancin.

rn

O tema central do congresso nesta edição será a “Mineração no mundo da inovação”. Na programação estão incluídos: palestras, workshops, debates e um talk-show sobre desafios, tendências e oportunidades no setor.

rn

Além disso, o evento também será palco para o lançamento de estudos para o setor, como o “Guia de Boas Práticas Ambientais da Mineração em Áreas Cársticas”, e o “Panorama da Mineração em Minas Gerais”. A publicação apresenta a importância da indústria extrativa mineral para o Estado.

rn

O diretor do IBRAM lembrou que a programação do congresso inclui, por exemplo, no dia 15, uma palestra do sócio e líder em prática de inovação da norte-americana Stratalis Consulting, George Hemingway. ” um especialista que está pensando na indústria e na mineração daqui a 50 anos. Ele trará uma visão de futuro para o setor”, pontuou Mancin.

rn

Desenvolvimento – No dia 16, a programação conta com a participação de um representante do Vaticano, o reverendo Séamus Finn, que também é da OMI Trust & Chair of Board Interfaith Center of Corporate Responsibility, dos Estados Unidos. “Os grupos religiosos têm importante papel junto à sociedade. O que queremos é trabalhar em prol do desenvolvimento de uma região em conjunto com esses grupos. E isso é inovador na programação do evento”, afirmou o diretor do IBRAM.

rn

No mesmo dia, o congresso trará um painel sobre como minimizar a dependência do Brasil da importação de fertilizantes. “Estamos provocando uma discussão importante sobre o assunto. Precisamos superar essa dependência das importações”, disse. O painel tratará de projetos que podem colaborar para isso e também abordará quais os atuais mecanismos de financiamento disponíveis para esses tipos de investimentos.

rn

No último dia, entre outros assuntos, um painel discutirá o papel da pequena e média mineração no desenvolvimento regional. ” um painel que tenta inovar nessa área porque temos a tendência de voltar os olhos para as grandes empresas e projetos”, avaliou o diretor de IBRAM. Para ele, as mineradoras de menor porte também são indutoras de desenvolvimento local e regional, gerando emprego e renda.

rn

Segundo Mancin, a programação do congresso será repleta também de painéis e palestras voltados para o ponto de vista do meio ambiente e sustentabilidade. Na avaliação do diretor do IBRAM, a mineração brasileira vem se destacando sobre essa ótica, na medida em que as empresas buscam sempre minerar com mais eficiência, maior produtividade e menor impacto no meio ambiente.

rn

Mancin citou o projeto da Vale em Carajás, no Pará, onde a mineradora vai implantar um processo de mineração a seco, o que reduz drasticamente o uso de água e não demanda a construção de uma barragem de rejeitos. Da mesma forma, o projeto da mineradora não usará caminhões, na medida em que todo o minério será transportado em correias transportadoras, diminuindo também a emissão de poluentes jogados na atmosfera pelo uso de combustível fóssil nos veículos.

rn

“A inovação tecnológica está resultando em uma mineração mais eficiente e mais sustentável. Nossos maiores desafios estão na área social porque ao longo dos anos as mineradoras incorporaram práticas sustentáveis nos processos de produção, gerando cada vez menos impactos ambientais”, concluiu.

rn

 

rn

 

 

Fonte: Diário do Comércio

Compartilhe:

LEIA TAMBÉM



Instituto Tecnológico Vale abre inscrições para nova turma de Mestrado

22 de outubro de 2018

Instituto Tecnológico Vale (ITV), em Minas Gerais, acaba de abrir as inscrições para o processo seletivo 2019 do Mestrado Profissional…

LEIA MAIS

Minério mantém alta

5 de dezembro de 2017

Em sua quinta alta consecutiva, o minério de ferro atingiu o maior valor desde 14 de setembro no mercado à…

LEIA MAIS

Anote na agenda: inauguração do Hub da Mineração será em 17 de janeiro

14 de janeiro de 2019

O Mining Hub ou Hub da Mineração, um dos mais inovadores projetos do setor mineral internacional, já tem data marcada…

LEIA MAIS