NOTÍCIAS

Sistema da Henkel aumenta vida útil de tubos em até 20 anos

7 de agosto de 2015

A companhia alemã Henkel apresentou, na última quinta-feira (6), em Belo Horizonte (MG), o sistema compósito de reparo para tubulações, lançado neste ano no Brasil. Segundo a companhia, um dos principais obje

A companhia alemã Henkel apresentou, na última quinta-feira (6), em Belo Horizonte (MG), o sistema compósito de reparo para tubulações, lançado neste ano no Brasil. Segundo a companhia, um dos principais objetivos do novo sistema, que tem aplicação em mineração, energia, petróleo e gás e outras, é aumentar a vida útil da tubulação em até 20 anos.

rn

“A equipe da Henkel vai até as empresas apresentar um processo, e não um produto”, afirmou Célio Ruiz, gerente do departamento de Assistência Técnica da empresa. Segundo ele, a solução “tudo-em-um” fornece materiais para aplicação de superfície, reforço e revestimento superior e é aplicada diretamente sobre a superfície do tubo.

rn

O sistema compósito de reparo para tubulações da Henkel foi apresentado hoje durante o evento Painel Mineração 2015. Segundo a Henkel, o sistema é rápido e econômico e reforça e sela tubos de aço projetados para alta pressão, temperatura e resistência química.

rn

De acordo com Ruiz, o sistema possui a tecnologia Loctite, que faz com que ele possa ser desenvolvido em qualquer geometria dos tubos.“A gente quer trazer algo com o custo melhor e que acabe com a troca constante de tubulação”, disse.

rn

A reparação do novo sistema é feita em campo, por meio do método de reparo a frio, em que não há necessidade de trocar as tubulações. Outro benefício, segundo a empresa, é o treinamento, feito pela equipe de suporte da Henkel no Brasil e dividido em duas partes: a primeira ensina os empregados como trabalhar com o tipo de resina química presente no sistema e a segunda instrui sobre como eles devem trabalhar com resina química no processo específico de tubulação, que é o pipe repair, em inglês.

rn

Os testes com o sistema foram feitos durante três anos na Alemanha, Irlanda e em laboratórios da Germanischer Lloyd, que concedeu a certificação ISO/TS 24817 para o sistema. A aplicação pode ser feita, além da reparação de tubos de aço, em tubos com corrosão interna ou externa, em tubos sujeitos a ataque químico ou desgaste mecânico.

rn

O sistema pode ser utilizados por mineradoras, refinarias, usinas petroquímicas, usinas de energia, entre outras. “O nosso grande diferencial é conseguir atender a todas as normas e conseguir apresentar o material para ter resistência e estrutura mecânica necessária”, ressaltou Celso.

rn

Clique aqui e acesse a matéria.

rn

 

rn

 

 

Fonte: Notícias de Mineração Brasil

Compartilhe:

LEIA TAMBÉM



Vale anuncia a venda dos seus ativos de nitrogenados e fosfatado em Cubatão à Yara

21 de novembro de 2017

A Vale informa que celebrou um acordo de compra de cotas com Yara International ASA, empresa listada na Bolsa de…

LEIA MAIS

Mining Hub recebe visita de produtores da indústria do açúcar

18 de fevereiro de 2020

O setor mineral brasileiro e suas inovações foram amplamente debatidos durante a manhã desta sexta-feira (14/2) no Mining Hub, único hub…

LEIA MAIS

Anglo American divulga resultados de produção do terceiro trimestre

24 de outubro de 2017

A Anglo American reportou um aumento de 6% na produção total em base equivalente de cobre, em comparação com o mesmo período em 2016.

LEIA MAIS