NOTÍCIAS

Unesco propõe melhores práticas para a mineração em Minas

19 de março de 2013

rnA Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) vai ampliar, em Minas Gerais, o debate sobre a sustentabilidade na mineração. A intenção &ea

rn

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) vai ampliar, em Minas Gerais, o debate sobre a sustentabilidade na mineração. A intenção é confeccionar um guia de boas práticas visando reduzir os conflitos e expandir o diálogo. Foi aberto na última segunda-feira (18) e vai até esta quarta-feira (20) o “Seminário Internacional sobre Mineração e Sustentabilidade Socioambiental em Reservas da Biosfera”, que ocorre no Liberty Palace Hotel, em Belo Horizonte.

rn

“O diálogo entre as mineradoras e a comunidade afetada não é prática comum no Brasil. Não existe negociação e só há mobilização da sociedade quando o conflito já está instalado”, disse o chefe do Departamento de Ciências Biológicas da PUC Minas e vice-coordenador do Comitê Estadual de Reserva da Biosfera da Serra do Espinhaço, Miguel Ângelo Andrade.

rn

São classificadas como Reserva da Biosfera áreas onde existam interesses mundiais no patrimônio, cultura, história e geologia. É o caso da Serra do Espinhaço, que se estende por Minas Gerais e Bahia, e abrange 53 municípios, sendo 36 deles mineradores. “Não negamos a geração de renda trazida pela mineração, embora ela seja mal distribuída. Mas a atividade gera desperdício de vocações regionais e conflitos, especialmente, sobre o uso de água. Muito disso ocorre por falta de diálogo, que hoje se limita ao processo de licenciamento ambiental”, disse Andrade.

rn

As referências para o guia de boas práticas são os objetivos do milênio, da Organização das Nações Unidas (ONU), o Plano de Ação de Madri, que coloca as reservas da biosfera como principais áreas designadas ao desenvolvimento sustentável e a observância de critério socio-ambientais para financiamentos, como exige o Banco Mundial (Bird). “Com todos esses marcos internacionais podemos criar uma visão mais estratégica, de médio e longo prazo, para o desenvolvimento, e não apenas crescimento, da mineração”, observou.

rn

O seminário é organizado, conjuntamente, pela Divisão de Ciências Ecológicas e da Terra da Sede da Unesco, a Unesco Montevidéu, a Unesco Brasília, o Comitê MAB Brasileiro, a Reserva da Biosfera da Serra do Espinhaço, a PUC Minas e o Governo de Minas Gerais.

rn

 

rn

 

rn

 

Fonte: Hoje em Dia

Compartilhe:

LEIA TAMBÉM



Brasil inaugura 1º hub de inovação para a indústria mineral

21 de janeiro de 2019

Inovação na prática, ao vivo, voltada exclusivamente para a indústria da mineração. É o que os participantes do Hub da…

LEIA MAIS

Instituto Tecnológico Vale abre inscrições para nova turma de Mestrado

22 de outubro de 2018

Instituto Tecnológico Vale (ITV), em Minas Gerais, acaba de abrir as inscrições para o processo seletivo 2019 do Mestrado Profissional…

LEIA MAIS

Secretário de Mineração, Alexandre Vidigal, anuncia plano de ação para mineração

28 de janeiro de 2020

“A mineração é um produto muito bom. Não é propaganda enganosa”. As frases são do Secretário de Geologia, Mineração e…

LEIA MAIS