NOTÍCIAS

VALE ACELERA NOVO PROJETO EM CARAJÁS

24 de março de 2012

 rnMesmo com freada na China, companhia mantém planos  para nova mina e espera licença ambiental até junho. Diretora da empresa diz que ‘gigantismo’ da mineradora levou a atrasos e que foram revistos procedime

 

rn

Mesmo com freada na China, companhia mantém planos  para nova mina e espera licença ambiental até junho. Diretora da empresa diz que ‘gigantismo’ da mineradora levou a atrasos e que foram revistos procedimentos.

rn

Mesmo com as previsões de menor crescimento econômico e de consumo reduzido de minério de ferro na China, principal cliente da Vale, a mineradora brasileira mantém inalterado seu maior projeto, a nova mina de Carajás (PA)-a de Serra Sul- e espera obter a licença ambiental prévia ainda neste semestre.  

rn

A Vale diz que os planos para Carajás são de longo prazo, não dependem da conjuntura atual e estão mantidos. Trata-se de projeto de US$ 8 bilhões, com capacidade de 90 milhões de toneladas de minério de ferro -30% da produção da Vale em 2011.  

rn

O licenciamento da mina de Serra Sul caminhava a passos lentos desde 2008, mas progrediu rapidamente nos últimos meses. “A Vale é muito grande. Se tivesse de dizer qual é o maior desafio da Vale hoje, eu diria que é o tamanho”, diz Vânia Somavilla, diretora de RH, Sustentabilidade e Energia da empresa.  

rn

Esse gigantismo, afirmou a executiva à Folha, traduziu-se em ineficiência no licenciamento ambiental e atraso em projetos importantes, o que levou à reformulação de procedimentos e “internalização” do processo de obtenção de licenças.  

rn

Os resultados das mudanças, diz ela, começam a aparecer: a Vale conseguiu em fevereiro a licença prévia de uma nova lavra de minério de altíssima qualidade em Carajás (na área de Serra Norte, onde já extrai minério de ferro) e espera até junho a mesma autorização para a nova mina de Serra Sul.  

rn

OBSTÁCULOS  

rn

Somavilla diz que a área ambiental e a restrição de mão de obra são os maiores desafios à expansão e implantação de novos projetos.  

rn

Nos últimos seis meses, a mineradora diagnosticou  problemas e criou novos mecanismos internos de controle e suporte ao licenciamento de projetos. Fez um manual que lista documentos e demandas do Ibama que têm de ser apresentados e atendidos em cada etapa do projeto.  

rn

“O gestor do projeto dizia: ‘Já protocolei o estudo. A culpa [do atraso] é do órgão ambiental.’ Mas era protocolado o estudo incompleto.”  

rn

Foi o caso de Serra Sul. O primeiro estudo foi enviado em 2008. O Ibama pediu uma revisão em 2009 e informações adicionais em 2010.  

rn

O trabalho final seguiu para o órgão em dezembro (já sob as novas orientações internas da Vale). Até agora não surgiram novos pedidos do instituto. Antes, diz Somavilla, a realização dos estudos era “muito terceirizada”, num nível considerado excessivo pelos órgãos ambientais.  

rn

Diante disso, a Vale criou um comitê executivo de  licenciamento, formado por quatro diretores de primeiro escalão. A instância fixa os  projetos prioritários e destina mais recursos humanos e materiais, se necessário. Foi o que aconteceu com os empreendimentos de Carajás.  

rn

Apesar de reconhecer erros internos, Somavilla diz que os órgãos ambientais estão “saturados de projetos” como reflexo do crescimento do país, o que prejudicaria o tempo de análise deles.

rn

 

 

Fonte: Folha de S. Paulo

Compartilhe:

LEIA TAMBÉM



Alcoa apoia desenvolvimento em Inglês para alunos do Senai Juruti

10 de dezembro de 2018

Estudantes do Programa de Formação de Operadores e Operadoras (PFO) e de cursos técnicos do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial…

LEIA MAIS

ArcelorMittal Tubarão lança projeto para dessalinizar água do mar

21 de janeiro de 2019

O projeto demandará investimentos em torno de R$ 50 milhões, gerará cerca de 220 vagas de emprego (no pico da…

LEIA MAIS

Instituto Alcoa promove formação de professores em escolas públicas de Juruti

10 de setembro de 2018

Em busca de conhecimentos, experiências e avanços nas atividades escolares, cerca de 40 professores de escolas públicas de Juruti e…

LEIA MAIS