NOTÍCIAS

Vale anuncia que vai rever projetos após queda de demanda de minério

26 de julho de 2012

rnDiante de um novo cenário de preços mais baixos para o minério de ferro e recuo da demanda global, a Vale decidiu rever todos os seus projetos para priorizar investimentos.rnUm dia depois de anunciar queda de 48,3% no lucro do

rn

Diante de um novo cenário de preços mais baixos para o minério de ferro e recuo da demanda global, a Vale decidiu rever todos os seus projetos para priorizar investimentos.

rn

Um dia depois de anunciar queda de 48,3% no lucro do segundo trimestre em relação ao mesmo período do ano anterior, para R$ 5,3 bilhões –ante expectativa média de R$ 7 bilhões do mercado– o presidente da mineradora, Murilo Ferreira, admitiu que será necessário rever o conjunto de investimentos previstos pela companhia.

rn

“Queremos ter maior disciplina na alocação de capital, comprometimento com o retorno aos acionistas, fazer projetos que deem maior retorno”, disse o presidente da Vale, Murilo Ferreira, em teleconferência com analistas esta manhã.

rn

“Uma série de projetos que poderiam estar contribuindo para geração de caixa tiveram problemas no seu início e impacta a performance [da empresa], alguns investimentos foram feitos e não estão trazendo o retorno esperado”, afirmou.

rn

O novo plano de investimento da companhia será apresentado até o final do ano, informou, sem precisar uma data.

rn

Ferreira destacou como prioridade projetos em minério de ferro como o de Serra Sul (S11D), no Pará, um dos maiores investimentos da Vale, de US$ 8 bilhões, para aumentar a produção de Carajás em 90 milhões de toneladas.

rn

Outros projetos que com certeza serão mantidos, segundo Ferreira, é a produção de carvão em Moçambique, na África, e o desenvolvimento do segmento de fertilizantes.

rn

“Minério de ferro e fertilizantes tem uma prioridade muito grande e tem que entregar resultados que foram deixados de lado no passado”, disse Ferreira.

rn

O executivo assumiu a Vale há um ano no lugar de Roger Agnelli, que conduziu a Vale por 10 anos.

rn

Ferreira lembrou que a produção de minério de ferro da empresa está praticamente estável desde 2007 e observou que alguns projetos que eram para estar entrando em operação este ano tiveram problemas e prejudicaram o desempenho da companhia.

rn

Projetos de níquel em Nova Caledônia e no Brasil (Onça Puma) não demonstraram o resultado esperado, segundo o executivo.

rn

“MENOS ESFUZIANTE”

rn

O presidente disse ainda a analistas que diante da nova realidade mundial os dividendos pagos pela empresa não serão tão altos como os do ano passado.

rn

“Nós sabemos que estamos trabalhando com cenário adverso de preços, e certamente isso traça um cenário menos esfuziante em relação a dividendos extraordinários que alguns poderiam esperar para este ano”, disse Ferreira.

rn

Apesar da queda do valor do minério de ferro no mercado internacional, para abaixo de US$ 120 a toneladas, Ferreira aposta que a faixa de preço continuará dentro do previsto pela empresa no início do ano, entre US$ 120 e US$ 150, e poderá inclusive superar o teto.

rn

As ações da companhia aprofundaram a queda da abertura após a teleconferência, cedendo 2,08% enquanto o Ibovespa subia 0,91%.

rn

As ações da Bradespar, cujos ativos são compostos principalmente por ações da Vale caiam 2,79% no mesmo horário.

rn

 

Fonte: Folha de S. Paulo

Compartilhe:

LEIA TAMBÉM



Anglo American divulga resultados de produção do terceiro trimestre

24 de outubro de 2017

A Anglo American reportou um aumento de 6% na produção total em base equivalente de cobre, em comparação com o mesmo período em 2016.

LEIA MAIS

Centro de Operações Integradas completa um ano de funcionamento

24 de setembro de 2018

A integração da cadeia de valor de Ferrosos, por meio do Centro de Operações Integradas (COI), é uma realidade na…

LEIA MAIS

Desenvolvimento de Normas Internacionais da ISO em debate

12 de novembro de 2018

Produtores, consumidores, clientes e prestadores de serviços relacionados ao Setor Mineral Brasileiro reuniram esforços para desenvolver e atualizar normas técnicas…

LEIA MAIS