NOTÍCIAS

Vale economiza com melhoria no processo de moagem de cobre

23 de junho de 2015

A Vale desenvolveu uma ação de melhoria no processo de moagem de cobre, que reduziu em 25% a quantidade de bolas usadas no processamento do produto na usina da mina do Sossego, no Pará. A medida diminuiu o consumo de insumos e re

A Vale desenvolveu uma ação de melhoria no processo de moagem de cobre, que reduziu em 25% a quantidade de bolas usadas no processamento do produto na usina da mina do Sossego, no Pará. A medida diminuiu o consumo de insumos e reduziu em 5% o consumo energético na operação do moinho, gerando economia anual de R$ 3,9 milhões.

rn

De acordo com estudo feito pela equipe de Processo da mina do Sossego, quanto maior a quantidade de bolas utilizadas no processo, mais alto seria o consumo de energia no processamento e, consequentemente, maiores os gastos com estes insumos. As informações são de nota publicada pela Vale na última sexta-feira (19).

rn

A solução encontrada pela equipe foi substituir a metodologia de cálculo de gramas por kilowatt por hora (KW/h) sem impactar na eficiência da moagem e no processo de beneficiamento do cobre.

rn

Geovan Oliveira, técnico especializado de produção da área de Processos da usina e responsável pela aplicação da nova metodologia, afirmou que os resultados positivos superaram as expectativas.

rn

“Nosso maior ganho foi ter encontrado uma solução sem custo e risco operacional, alinhada com as diretrizes da empresa de produtividade e sustentabilidade. Sua aplicabilidade também pode ser facilmente replicada em outras unidades que possuem moinhos”, disse.

rn

As bolas ou corpos moedores são utilizados dentro do moinho com a função de reduzir o tamanho do minério, processo que faz parte do processo de beneficiamento do cobre na Usina, diz a Vale.

rn

A mina do Sossego completou dez anos em 2014 e, durante esse período, produziu 1,2 milhão de toneladas de cobre contido em concentrado e gerou 2,4 mil empregos diretos, além de R$ 130 milhões em investimentos socioeconômicos no município sede do empreendimento. O IDH de Canaã dos Carajás (PA) subiu, durante esses dez anos, de 0,45 para 0,67. As informações são da assessoria de imprensa da Vale.

rn

Clique aqui e acesse a matéria na íntegra.

rn

 

rn

 

 

Fonte: Notícias de Mineração Brasil

Compartilhe:

LEIA TAMBÉM



Congresso Aço Brasil 2019 debate o futuro do setor

8 de agosto de 2019

Nos dias 20 e 21 de agosto, em Brasília, o Instituto Aço Brasil reunirá autoridades, empresários e especialistas para debater…

LEIA MAIS

BH recebe 2º edição do evento “Fornecedores de Tecnologias para gestão e manejo de rejeitos de mineração”

28 de outubro de 2019

Empresas brasileiras e também companhias com atuação internacional que atuam no desenvolvimento de soluções para a gestão e o manejo…

LEIA MAIS

MINÉRIO DE FERRO: Preço tem leve alta no mercado futuro

1 de novembro de 2017

O contrato mais negociado no mercado futuro de minério de ferro, na China, com vencimento em janeiro de 2018, passou de 428 para 429,5 iuanes, ou US$ 65,09 a tonelada, de acordo com o câmbio.

LEIA MAIS