NOTÍCIAS

Vale mantém aposta no mercado chinês

25 de abril de 2012

rn A Vale estima que mesmo se a China, seu maior cliente global, desacelerar seu crescimento econômico, o valor agregado chinês ainda aumentará significativamente e o país pesará mais em seu faturamento

rn

 A Vale estima que mesmo se a China, seu maior cliente global, desacelerar seu crescimento econômico, o valor agregado chinês ainda aumentará significativamente e o país pesará mais em seu faturamento total. 

rn

 Rafael Benke, diretor global de assuntos corporativos da Vale, mostrou em conferência da Unctad (Agência das Nações Unidas para o Comércio e o Desenvolvimento), em Doha, que entre 2002-11, quando o crescimento médio chinês foi de 10,6%, o valor agregado da economia chinesa foi de US$ 2,7 trilhões. No caso de crescimento médio de 7% entre 2012-2021, ou seja, menor, ainda assim quase duplicará o valor agregado para US$ 4,1 trilhões. 

rn

 “O impacto da economia chinesa continuará enorme”, afirmou o executivo. “Apostamos muito na urbanização da China, na infraestrutura, residencial, no crescimento da produção automobilística e somos muito positivos não são sobre o país, como sobre toda a Ásia”. 

rn

 As vendas da Vale para China representaram 32,4% e para toda a Ásia, 52%, de sua receita no ano passado. Para Benke, a tendência é de a participação asiática aumentar nos negócios da companhia, maior produtora e exportadora de minério de ferro do mundo. 

rn

 A situação da economia chinesa está no centro das atenções na conferência da Unctad, ainda mais que mais países em desenvolvimento dependem dos negócios com os chineses. 

rn

 O resultado do Índice de Gerente de Compras (PMI), indicador antecedente de atividade industrial, subiu em abril, mas a pequena subida parece ter desapontado quem esperava um claro sinal de que a desaceleração da economia chinesa tinha sido freado de vez. 

rn

rn

 De todo modo, analistas veem tendências “estruturais” positivas, a exemplo da Vale. As famílias parecem ter voltado a aumentar sua fatia na renda nacional. A renda disponível cresceu 9,8% em um ano, e na zona rural 12,7%. Os salários de migrantes subiram até 16,6% em um ano. Pelo menos, esse é um sinal de que continua forte a demanda de mão de obra no altamente cíclico setor da construção civil e na manufatura leve, que empregam a maioria dos migrantes. 

rn

 A presença da Vale na conferência ministerial da Unctad se explica por ser uma das grandes multinacionais dos países emergentes, com presença  em 38 países, valor de mercado de US$ 130 bilhões que a torna uma das 30 maiores empresas do mundo. 

rn

 A Vale fez um dos maiores investimentos nos países desenvolvidos, com aquisição da canadense Inco, de níquel, em 2006. Nos últimos sete anos, a companhia investiu US$ 104 bilhoes, segundo Rafael Benke. 

rn

 Uma questão em Doha foi sobre o impacto da passagem gradual de um ambiente de nos investimentos estrangeiros de liberal para mais regulatório, principalmente em setores como mineração. 

rn

 “Para nós, regulação não é necessariamente negativo. O problema é quando a regulação é afoita, feita de supetão e sem consultas”, afirmou  o executivo da Vale. Benke mencionou como exemplo positivo a reforma do código de mineração em Moçambique, concluída recentemente de maneira tranquila, em diálogo com o setor. 

rn

 Outra questão é o crescente numero de países detentores de recursos naturais que procura renegociar contratos. A Vale está em fase de “ajuste de contrato” na Indonésia, para exploração de níquel. O acordo estava caducando e as discussões também vem sendo “tranquilas”.

rn

rn

 

Fonte: Valor Econômico

Compartilhe:

LEIA TAMBÉM



Venda interna de aço cresce 2,3% em 2017

23 de janeiro de 2018

As vendas internas cresceram 2,3% em 2017 e atingiram 16,9 milhões de toneladas, de acordo com dados do Instituto Aço…

LEIA MAIS

Fabio Schvartsman participa de evento corporativo em São Paulo

16 de abril de 2018

O diretor-presidente da Vale, Fabio Schvartsman, participou, no dia 10 de abril, do Itaú Macro Vision, evento voltado para o…

LEIA MAIS

Royalty: mineradoras recolhem mais CFEM em 2018

5 de abril de 2018

A arrecadação da Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (CFEM), considerada o royalty da mineração, totalizou R$ 211 milhões no mês…

LEIA MAIS