NOTÍCIAS

Vale vende negócio de ferro-ligas na Europa

11 de julho de 2012

rnDentro da estratégia de sair de negócios que não são foco da companhia, a Vale fechou ontem a venda do primeiro pacote das atividades de ferro-ligas e manganês. Por US$ 160 milhões em dinheiro ela se desfez

rn

Dentro da estratégia de sair de negócios que não são foco da companhia, a Vale fechou ontem a venda do primeiro pacote das atividades de ferro-ligas e manganês. Por US$ 160 milhões em dinheiro ela se desfez dos ativos de ferro-ligas de manganês na Europa (França e Noruega) para a Glencore International. Em uma segunda etapa, a mineradora vai vender as usinas de ferro-ligas no Brasil – em Minas Gerais (Santa Rita, Barbacena e Ouro Preto) e na Bahia, em Simões Filho. Segundo uma fonte, não vendeu ainda por falta de comprador.

rn

Essa área de negócios abrange também três minas de manganês, das quais a empresa não pretende ainda se desfazer. Tratam-se da minas do Azul, a céu aberto, localizada no Pará (alto teor de manganês – 40%), a de Urucum, no Mato Grosso do Sul, (também 40%) e a de Morro da Mina, em Minas Gerais (com 24%).

rn

Este ano, a Vale já vendeu os ativos de caulim e de carvão térmico na Colômbia. Em entrevista ao Valor, Murilo Ferreira, presidente da empresa, disse que a estratégia é focar em minério de ferro, níquel, cobre, carvão e fertilizantes. “Temos que nos preocupar com ativos que não fazem parte do negócio principal da empresa e desinvestir”, afirmou.

rn

Entre os ativos fora dos principais negócios, estão também à vendas óleo e gás. O Citibank e o Bank of Nova Scotia foram contratados para analisar estratégias alternativas para o negócio. A posição da Vale nesse caso é não participar de mais nenhum leilão da ANP e estudar alternativas estratégicas para esses ativos (óleo e gás). “Por isso contratamos os bancos. Mas não temos pressa para vender, queremos ter uma boa estratégia para nos convencer”, disse.

rn

Ainda na lista de futuros desinvestimentos está a participação de 22% que a Vale tem no capital da Norsk Hydro, companhia norueguesa que comprou os negócios de alumínio da mineradora alguns anos atrás.

rn

 

Fonte: Valor Econômico

Compartilhe:

LEIA TAMBÉM



Cazaquistão recebe este ano o World Mining Congress

16 de abril de 2018

Com uma gama diversificada de commodities minerais, o Cazaquistão é o maior produtor mundial de urânio, o segundo maior de cromita e…

LEIA MAIS

Instituto Tecnológico Vale abre inscrições para nova turma de Mestrado

22 de outubro de 2018

Instituto Tecnológico Vale (ITV), em Minas Gerais, acaba de abrir as inscrições para o processo seletivo 2019 do Mestrado Profissional…

LEIA MAIS

Inscrições abertas para o Simpósio do Ouro e Metais Nobres em Minas Gerais

8 de outubro de 2018

studos do Conselho Mundial do Ouro (World Gold Council – WGC) apontam que a expansão da classe média na China…

LEIA MAIS