NOTÍCIAS

Vendas de minério de ferro caem 20% em 2012

17 de julho de 2012

rnPrincipal produto exportado para a China, no último ano, sofre com a queda de preçornAo precificar a desaceleração da economia chinesa, a depreciação do minério de ferro no mercado internacional j&aa

rn

Principal produto exportado para a China, no último ano, sofre com a queda de preço

rn

Ao precificar a desaceleração da economia chinesa, a depreciação do minério de ferro no mercado internacional já ocasionou uma queda de 20,4% no valor das exportações brasileiras do produto para o gigante asiático.

rn

A queda de 20% no preço médio entre o primeiro semestre de 2012 e o de 2011 já levou até mesmo o governo brasileiro a discutir a situação do setor com os chineses. Na pauta da reunião realizada na última semana entre o ministro do Desenvolvimento, Fernando Pimentel, e o vice-primeiro-ministro da China, Wang Qishan, estava o volume de vendas da Vale para o seu principal cliente.

rn

Segundo José Fernando Coura, presidente do Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram), a desaceleração chinesa pode ser determinante para o futuro próximo do setor. Contudo, os planos de investimento e a demanda pela commodity estão garantidos pelos próximos anos.

rn

“A China demanda quase 1 bilhão de toneladas de minério de ferro por ano. Falta produção no mundo para atender o mercado”, afirma Coura. “Pode acontecer uma variação negativa, que traga números menores para o setor, mas com o preço acima de US$ 130 a tonelada, as perspectivas são ótimas.” Até o sexto mês deste ano, o valor médio do minério de ferro se manteve em torno de US$ 140. O presidente do Ibram aposta no volume de investimentos
das companhias brasileiras para que o setor volte a figurar como o principal exportador para a China. “Esperamos produzir 510 milhões de toneladas este ano, e com os investimentos de US$ 75 bilhões até 2016, vamos elevar muito esta produção. Há demanda e haverá oferta para
crescermos”, diz.

rn

Em contraponto, José Augusto de Castro, presidente da Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB), projeta um futuro mais turbulento para a mineração. Segundo Castro, as ações de algumas siderúrgicas chinesas, para estimular a economia do país, acabarão por depreciar ainda mais a cotação da commodity. “A Baosteel, maior produtora de aço no mundo, já decretou que o preço de seu aço cairá 6% a partir de agosto. Isso recairá sobre o minério de ferro, que ainda está apreciado”, assinala o executivo.
De acordo com suas projeções, as vendas de minério de ferro cairão 22% neste ano. “É um mercado que a China controla e impõe seu preço”, diz.

rn

 

Fonte: Brasil Econômico

Compartilhe:

LEIA TAMBÉM



Nota Técnica do Ministério do Trabalho esclarece o uso de “Robôs Colaborativos” frente à NR 12

3 de dezembro de 2018

A Nota Técnica nº 31/2018/CGNORDSST/SIT/MTb, expedida pelo Ministério do Trabalho, esclarece o uso de “Robôs Colaborativos” e de robôs tradicionais…

LEIA MAIS

Instituto Alcoa promove formação de professores em escolas públicas de Juruti

10 de setembro de 2018

Em busca de conhecimentos, experiências e avanços nas atividades escolares, cerca de 40 professores de escolas públicas de Juruti e…

LEIA MAIS

Instituto Tecnológico Vale abre inscrições para nova turma de Mestrado

22 de outubro de 2018

Instituto Tecnológico Vale (ITV), em Minas Gerais, acaba de abrir as inscrições para o processo seletivo 2019 do Mestrado Profissional…

LEIA MAIS