NOTÍCIAS

Zamin investe US$ 120 milhões no Amapá

14 de janeiro de 2013

rnA mineradora suíça Zamin Ferrous vai investir US$ 120 milhões para a construção de dois fornos, um de ferro-gusa e outro de aços longos, na área que pertencia à Sólida Minera&

rn

A mineradora suíça Zamin Ferrous vai investir US$ 120 milhões para a construção de dois fornos, um de ferro-gusa e outro de aços longos, na área que pertencia à Sólida Mineração, no distrito do Coração, em Macapá (AP). O investimento no primeiro forno, de ferro-gusa, será de US$ 60 milhões, segundo o governo do Estado, e o início das operações está planejado para daqui a 18 meses. O forno de aço, que receberá outros US$ 60 milhões, começará a ser construído em um ano.

rn

O projeto dos dois fornos foi apresentado na quinta-feira pelo fundador da Zamin, Pramod Agarwal, ao governador do Amapá, Camilo Capiberibe. A previsão da empresa é de contratar 1,9 mil funcionários, 1,2 mil para a produção de ferro-gusa e 700 para os forno de aço.

rn

Os aços longos produzidos no Amapá serão utilizado na fabricação de vergalhões para construção civil e produtos para a indústria brasileira e para exportação, segundo o governador. “O projeto da Zamin representa o primeiro passo para a industrialização do Amapá”, disse em nota.

rn

Até o momento, a Zamin não pediu incentivos específicos, afirmou Capiberibe ao Valor. Porém, ele diz que o Estado dará R$ 30 milhões, de um projeto estimado em R$ 80 milhões, para a construção de um linhão que levará energia elétrica da hidrelétrica da Ferreira Gomes Energia até Pedra Branca do Amapari, onde a Zamin explora minério de ferro, e Serra do Navio, município vizinho. A ajuda será por meio da isenção de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) à Eletronorte para o projeto do linhão. Capiberibe disse ainda que encaminhará à Assembleia Legislativa um pedido para transferir à Zamin a concessão da Estrada de Ferro do Amapá concedida em 2006 para a MMX.

rn

A Zamin, que tem escritórios na Suiça, Uruguai, Dubai e Reino Unido, vem priorizando o Brasil em sua estratégia global de expansão. Há duas semanas, comprou a mina de ferro Amapá, da Anglo American e da Cliffs Natural Resources, por estimados US$ 300 milhões. A empresa prevê mais que triplicar até 2017, para 27 milhões de toneladas ao ano, a produção de minério de ferro no país, disse Agarwal em entrevista ao Valor.

rn

 

rn

 

rn

 

Fonte: Valor Econômico

Compartilhe:

LEIA TAMBÉM



Venda interna de aço cresce 2,3% em 2017

23 de janeiro de 2018

As vendas internas cresceram 2,3% em 2017 e atingiram 16,9 milhões de toneladas, de acordo com dados do Instituto Aço…

LEIA MAIS

AngloGold Ashanti realiza simulado de emergência de barragem na comunidade de Barra Feliz

19 de novembro de 2018

Terceiro evento em Santa Bárbara mobiliza moradores. Mais de 240 se envolveram na ação, 60% do público-alvo. Próximo treinamento ocorrerá…

LEIA MAIS

Centro de Tecnologia de Ferrosos da Vale completa 10 anos

15 de outubro de 2018

A Vale possui um dos mais avançados centros de pesquisas na aplicação de minério de ferro e carvão na siderurgia….

LEIA MAIS