NOTÍCIAS

Transações no mercado de cobre registram maior volume em 12 anos

29 de janeiro de 2018

Acordos fechados e negócios pendentes já movimentaram mais de US$ 500 milhões neste ano, o maior volume registrado em janeiro nos últimos 12 anos pela Bloomberg.

“Vemos as grandes empresas de mineração indicando a necessidade de comprar crescimento”, disse Stephen Gill, sócio da empresa de investimentos que é a maior acionista da Nevada Copper. “Devido aos anos de baixos investimentos, a fila de projetos delas atualmente está vazia e só pode ser recomposta por meio de aquisições, porque demora anos para desenvolver, receber autorização e construir uma nova mina de cobre”, declarou.

O apetite pelos ativos de extração de cobre está crescendo rapidamente após a maior escalada dos preços do metal em sete anos em 2017 em meio a turbulências que ampliaram a escassez de oferta. Apesar da oscilação dessa alta desde que os preços atingiram o maior patamar em três anos, em dezembro passado, analistas do Goldman Sachs afirmam que a perspectiva continua positiva. Os sinais de crescimento global sincronizado também estão ampliando as perspectivas de demanda, ressaltando a necessidade de concretização de novos projetos de cobre para breve.

A produção foi 175.000 toneladas foi menor do que o consumo nos 10 primeiros meses do ano passado, segundo o Grupo Internacional de Estudos do Cobre. No mesmo período do ano anterior o déficit foi de 143.000 toneladas devido a uma greve de trabalhadores da mina Escondida, da BHP, no Chile, e à proibição temporária de exportações de concentrado da mina Grasberg, da FreeportMcMoRan, na Indonésia, o que reduziu a oferta no início de 2017, afirmou o grupo de estudos.

Mais problemas de oferta podem estar surgindo. Mais de 30 contratos de trabalho deverão ser negociados neste ano no Chile e no Peru, o que coloca quase um quinto da oferta global de cobre em risco de disrupção neste ano, estimaram Andrew Cosgrove e Eily Ong, analistas da Bloomberg Intelligence.

“As pessoas se esqueceram do esgotamento das minas de cobre e da queda de qualidade em muitas minas de cobre, além do risco elevado de greve no setor”, disse Ivan Glasenberg, CEO da Glencore, em reunião de investidores em dezembro.

Na próxima década o mercado precisaria de 5 milhões de toneladas de cobre em novas minas para atender a demanda crescente, disse o CEO da Freeport, Richard Adkerson, na quinta-feira, citando estimativas da Wood Mackenzie. O minério dos novos projetos em desenvolvimento tem menor qualidade, disse.

“Na verdade, não há novos projetos importantes no horizonte”, disse Adkerson, na teleconferência de resultados do quarto trimestre da empresa. “A oferta reflete um período muito longo de baixos investimentos. E mesmo neste momento de preços mais altos não vemos uma onda de novos investimentos a serem iniciados de imediato.”

Notícias de Mineração Brasil e Bloomberg

Compartilhe:

LEIA TAMBÉM



Mining Hub recebe visita de produtores da indústria do açúcar

18 de fevereiro de 2020

O setor mineral brasileiro e suas inovações foram amplamente debatidos durante a manhã desta sexta-feira (14/2) no Mining Hub, único hub…

LEIA MAIS

Samarco: os três anos do rompimento de Fundão

5 de novembro de 2018

O rompimento da barragem de Fundão completa 3 anos. Uma realidade que faz parte da jornada da Samarco. O dia…

LEIA MAIS

Brasil inaugura 1º hub de inovação para a indústria mineral

21 de janeiro de 2019

Inovação na prática, ao vivo, voltada exclusivamente para a indústria da mineração. É o que os participantes do Hub da…

LEIA MAIS