NOTÍCIAS

Acordo valida pesquisas sobre aproveitamento de resíduos de rochas na agropecuária

26 de fevereiro de 2019

Embrapa, Federação das Indústrias do Estado do Espírito Santo (Findes) e Sindicato da Indústria de Rochas Ornamentais, Cal e Calcários do Espírito Santo (Sindirochas) assinaram protocolo de intenções para o desenvolvimento de pesquisas e tecnologias que permitem o aproveitamento de resíduos de rochas ornamentais na agropecuária.

O Brasil é o quarto maior produtor mundial de pedras naturais. O Espírito Santo conta com o maior arranjo produtivo do setor e é destaque não apenas no tipo de materiais, mas em toda cadeia produtiva que atua na transformação do produto. A Embrapa atua em pesquisas com rochas moídas in natura, chamadas “pó de rocha”. A assinatura do protocolo tem por objetivo estabelecer uma maior interação das entidades envolvidas, levando as pesquisas para o campo da efetiva utilização para o manejo da fertilidade do solo pela recomposição de minerais e aumento da eficiência no uso de nutrientes pelas plantas.

“Queremos que a ciência esteja disponível com os seus recursos para trabalhar em benefício do setor, que certamente trará vantagens significativas para a agropecuária”, disse o presidente da Embrapa, Sebastião Barbosa durante a assinatura do documento, na abertura da Vitoria Stone Fair, no dia 12 de fevereiro. Ele ainda ressaltou que o uso de matérias primas hoje descartadas permite aumentar a oferta de alternativas para reduzir os custos de produção. Segundo ele, a Empresa tem todo interesse em compartilhar conhecimento e somar esforços com as entidades estaduais e o Incaper.

O presidente de Sindirochas, Tales Machado, com entusiasmo, disse que conhecer o trabalho desenvolvido pelos pesquisadores da Embrapa foi uma grata surpresa. “Estamos muito otimistas e com esperança de que essa iniciativa, a partir de agora, vai fortalecer e fazer toda a diferença para o setor de rochas de todo país. Nosso objetivo é a cooperação conjunta com o objetivo de desenvolver pesquisas e tecnologias para o aproveitamento dos resíduos da mineração e beneficiamento de rochas ornamentais para, entre outras possibilidades, utilização em processos de rochagem, remineralização e recuperação de solos”, comentou.

Presente à solenidade, o governador do Espírito Santo, Renato Casagrande, destacou a importância da assinatura do protocolo de intenções para o desenvolvimento do setor de rochas da região. Para ele, a presença da Embrapa no Estado é fundamental e, para isso, colocou a Incaper à disposição para ajudar. Também explicou acreditar na parceria que estava se estabelecendo.

Potencial de uso

Segundo o pesquisador da Embrapa Cerrados (Planaltina – DF), Eder Martins, os chamados remineralizadores de solos, além de disponibilizarem novos micronutrientes, aumentam a eficiência de uso de vários outros.

Como parte do acordo de cooperação, Findes e Sindirochas vão disponibilizar informações e dados técnicos para a pesquisa da Embrapa e acompanhar o desenvolvimento do trabalho para fornecer todo o suporte possível. Uma nova agenda está marcada para março, no Espírito Santo. Existem hoje, no Brasil, oito polos de produção de rochas ornamentais: Espírito Santo, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Bahia, Paraíba e Ceará.

Para março, já existe uma nova agenda de trabalho, em solo capixaba, para dar andamento dos trabalhos.

Compartilhe:

LEIA TAMBÉM



Instituto Alcoa promove formação de professores em escolas públicas de Juruti

10 de setembro de 2018

Em busca de conhecimentos, experiências e avanços nas atividades escolares, cerca de 40 professores de escolas públicas de Juruti e…

LEIA MAIS

AngloGold Ashanti aprimora frota de subsolo

14 de janeiro de 2019

Dois novos jumbos, com investimento de R$ 10 milhões, foram adquiridos para operações de Minas Gerais Cerca de R$ 10…

LEIA MAIS

Mineração Usiminas adota nova tecnologia para dispor rejeitos

26 de junho de 2018

A Mineração Usiminas (Musa) protocolou na Superintendência Regional de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Supram) o pedido de licenciamento ambiental…

LEIA MAIS