NOTÍCIAS

Alunorte e UFPA assinam novo acordo para pesquisas de uso do resíduo de bauxita, dessa vez na produção de agregado sintético

13 de outubro de 2020

Alunorte anuncia novo acordo com a Universidade Federal do Pará (UFPA) para pesquisa sobre o uso do resíduo da bauxita na construção civil. Desta vez, o foco será na produção de agregado sintético, um tipo de material que vai misturado ao concreto na construção civil. Assim seria possível reduzir a necessidade de utilização de recursos naturais e ainda dar uma destinação ao resíduo de bauxita. A pesquisa terá duração de 18 meses e conta com um investimento de pouco mais de R$ 1,5 milhão por parte da companhia. A equipe contará com a participação de nove pesquisadores vinculados a quatro programas de Pós-Graduação do Instituto de Tecnologia da UFPA

“A Alunorte e a Hydro atuam buscando soluções sustentáveis para o resíduo de bauxita, incluindo a utilização de parte dele para a geração de novos produtos. Esta nova parceria, voltada ao desenvolvimento de agregados sintéticos para a construção civil, é mais um passo para atingirmos esse objetivo”, explica o Diretor Industrial da Alunorte, Michel Lisboa, acrescentando que a UFPA tem sido uma parceira estratégica para relevantes iniciativas “A excelência da UFPA é reconhecida e a universidade tem sido uma parceira estratégica na busca por soluções mais sustentáveis para a nossa operação e para as regiões onde atuamos”, complementa.

“Essa pesquisa tem perspectivas muito boas. O resíduo de bauxita, é formado principalmente por alumino silicatos, aluminatos e minerais rico em ferro e titânio. Este resíduo tem um enorme potencial para utilização na indústria de construção civil, pela quantidade e propriedade apresentada por este material”, afirma o professor Alcebíades Negrão Macedo, que está liderando o projeto pela UFPA.

Segundo a proposta de projeto da UFPA, o objetivo do estudo é a produção de Agregado Graúdo Sintético com o resíduo da bauxita, argila e sílica para aplicação em estruturas de concreto amplamente demandados pelo setor de construção civil na região. O estudo inclui o desenvolvimento e otimização da rota tecnológica, avaliação do desempenho e durabilidades do agregado e concreto e ensaios de elementos estruturais do concreto. Os agregados graúdos convencionais costumam ser seixo rolado e brita. Há no mercado diversos tipos de agregados naturais com diferentes aplicações que variam de acordo com a sua densidade. Por exemplo: podem ser utilizados em vigas, pilares, lajes, bloco estrutural, placas, contra piso, meio fio e juntas.

Pesquisa para cimento sustentável

Este é o segundo projeto de pesquisa para o uso do resíduo da bauxita na construção civil que a Hydro anuncia em 2020. Em junho, a companhia anunciou um acordo para pesquisa sobre o uso do resíduo da bauxita na produção de um cimento com baixa emissão de carbono. Por meio deste projeto, a companhia objetiva desenvolver soluções tecnológicas sustentáveis para os produtores locais de cimento de modo a reduzir não somente o seu custo de produção, mas principalmente o seu impacto ambiental, por meio da redução da emissão de gases causadores do efeito estufa e da preservação de recursos naturais.

Os dois projetos integram o convênio entre a Hydro e a Universidade, iniciado em 2019 para a realização de diversas linhas de pesquisa, entre elas com o resíduo resultante das operações da Hydro em Barcarena e Paragominas.

Compartilhe:

LEIA TAMBÉM



Tecnologia leva mais segurança aos caminhões fora de estrada

1 de outubro de 2018

O que um sistema que alerta os motoristas de caminhões fora de estrada sobre a presença de objetos no trajeto…

LEIA MAIS

Inscrições abertas para submissão de trabalhos na Minexcellence 2019

10 de setembro de 2018

O 4º Seminário Internacional de Excelência Operacional em Mineração (Minexcellence 2019) será realizado em Santiago, no Chile, entre os dias…

LEIA MAIS

MRN é destaque no Prêmio Redes Fiepa de Desenvolvimento

1 de outubro de 2020

A empresa figurou no Top2, da categoria Percetum. Só em 2019, a mineradora efetuou 60% de suas compras no Pará…

LEIA MAIS