NOTÍCIAS

IBRAM renova liderança e defende protagonismo do setor

21 de janeiro de 2019

Com grande experiência nos setores público e privado, Jerson Kelman assume a presidência do IBRAM; presidente do Conselho, Luiz Eduardo Osorio, reforça importância do segmento para crescimento do País

O Conselho Diretor do Instituto Brasileiro de Mineração (IBRAM) elegeu nesta sexta-feira (18) o executivo Jerson Kelman para a Presidência da Diretoria Executiva. Setor que reponde por 36% do saldo da balança comercial brasileira e gera mais de 2 milhões de empregos, entre diretos e indiretos, a mineração vem passando por uma profunda transformação nos últimos anos, com robustos investimentos em tecnologia e modernização, além de avanços significativos em sustentabilidade e em governança.

Kelman, que estará à frente de um planejamento estratégico audacioso para os próximos dois anos, substitui Walter Alvarenga, que passará a atuar na área de Assuntos Institucionais do IBRAM. Kelman nasceu no Rio de Janeiro em 1948 e é engenheiro civil. Exerceu cargos de relevância em sua carreira, como a Presidência da SABESP e do Grupo Light, a Direção-Geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) e a Presidência da Agência Nacional de Águas (ANA), entre outras atribuições.

“A mineração evolui a cada dia, se moderniza e cumpre um papel ainda mais relevante para o Brasil. É o celeiro de inovações em áreas como automação, inteligência artificial e indústria 4.0”, afirma Luiz Eduardo Osorio, presidente do Conselho do IBRAM, que deu posse a Kelman. “Queremos intensificar o dialogo com a sociedade e os governos. Demonstrar que a mineração é responsável, sustentável e essencial para o desenvolvimento do Brasil”, diz.

Relevância

O Brasil possui 9.415 minas em regime de concessão de lavra, de acordo com as informações mais atuais. Essa indústria gera um PIB de 4,2% (inclui petróleo e gás) e responde por 16,8% do PIB Industrial. O País produz mais de 2 bilhões de toneladas de minérios ao ano, o que movimenta US$ 34 bilhões (2018). Para o período 2018-2022 a expectativa das mineradoras é atrair US$ 19,5 bilhões em investimentos privados. A indústria da mineração é importante recolhedora de tributos e, também, de taxas e compensações, como é o caso da Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (CFEM). Somente em relação à CFEM, as mineradoras recolheram R$ 3,035 bilhões em 2018.

 

Compartilhe:

LEIA TAMBÉM



ArcelorMittal Tubarão lança projeto para dessalinizar água do mar

21 de janeiro de 2019

O projeto demandará investimentos em torno de R$ 50 milhões, gerará cerca de 220 vagas de emprego (no pico da…

LEIA MAIS

Inscrições abertas para submissão de trabalhos na Minexcellence 2019

10 de setembro de 2018

O 4º Seminário Internacional de Excelência Operacional em Mineração (Minexcellence 2019) será realizado em Santiago, no Chile, entre os dias…

LEIA MAIS

Alcoa apoia desenvolvimento em Inglês para alunos do Senai Juruti

10 de dezembro de 2018

Estudantes do Programa de Formação de Operadores e Operadoras (PFO) e de cursos técnicos do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial…

LEIA MAIS