NOTÍCIAS

Mineração e metalurgia aumentam o reaproveitamento da água nas operações

7 de julho de 2015

Os índices de recirculação de água nas minas exploradas por grandes empresas no Brasil atingiram 80%, na média, segundo o Instituto Brasileiro de Mineração –  IBRAM (www.ibram.org.br). A

rn

Os índices de recirculação de água nas minas exploradas por grandes empresas no Brasil atingiram 80%, na média, segundo o Instituto Brasileiro de Mineração –  IBRAM (www.ibram.org.br). As indústrias da mineração e metalurgia têm destinado parcela crescente de seus investimentos à otimização do consumo de água, energia e insumos usados no processo de produção.

Segundo o diretor de Assuntos Ambientais do Ibram, Rinaldo Mancin, os projetos desenvolvidos vão além da reciclagem e do reúso, uma vez que há avanços com a instalação de plantas de beneficiamento de minérios em circuitos fechados, onde é minimizada a perda de água e inexiste, na prática, a geração de efluentes.

rn

Em Araxá (MG), no Alto Paranaíba, a Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM), maior produtora mundial de nióbio, trabalha para alcançar a taxa de 97% de recirculação da água usada no processo industrial dentro de dois anos.

rn

O presidente da mineradora, Tadeu Carneiro, afirmou que a estratégia adotada pela empresa permitiu que a planta industrial passasse a reaproveitar 95% do insumo em 2014, um avanço importante ante o índice de 88% alcançado em 2009.

rn

No ano passado, recircularam no processo de produção da companhia 4,5 milhões de litros de água por hora, devido a aportes realizados de R$ 55 milhões entre 2009 e 2014. A nova meta torna possível o reaproveitamento de toda a água usada na produção de uma extensa linha de produtos, que inclui ferronióbio, óxidos, ligas de grau vácuo e nióbio metálico. “Estamos caminhado para isso [reciclar 97% de água]”, disse Carneiro.

rn

De acordo com o executivo, a CBMM mantém, ainda, controle permanente sobre a qualidade da água, por meio da coleta de mais de 4 mil amostras por ano em pontos considerados estratégicos na fábrica de Araxá. O material é submetido a 27 mil análises.

rn

A mineradora ainda recicla, reaproveita, reprocessa ou autoriza empresas terceirizadas a reprocessar mais de 30 tipos de resíduos, substâncias que totalizaram 50 mil toneladas no ano passado.

rn

A emissão de particulados é controlada com o uso de equipamentos modernos, como os chamados filtros de manga, que capturam partículas de emissões de fontes fixas no complexo industrial, impedindo a dispersão delas na atmosfera e permitindo a recuperação e eventual reaproveitamento do material coletado no processo de produção, reduzindo os impactos ambientais do processo industrial.

rn

Outro mecanismo utilizado é uma correia transportadora de minério de 3,2 quilômetros, que liga a mina à unidade de concentração da matéria-prima. O processo elimina o trânsito de caminhões, proporcionando ganhos relativos ao fim de emissões e consumo de combustível e à diminuição dos níveis de ruído. 

Clique aqui e acesse a matéria.

rn

 

rn

 

Fonte: Notícias de Mineração Brasil

Compartilhe:

LEIA TAMBÉM



BH recebe 2º edição do evento “Fornecedores de Tecnologias para gestão e manejo de rejeitos de mineração”

28 de outubro de 2019

Empresas brasileiras e também companhias com atuação internacional que atuam no desenvolvimento de soluções para a gestão e o manejo…

LEIA MAIS

Samarco: os três anos do rompimento de Fundão

5 de novembro de 2018

O rompimento da barragem de Fundão completa 3 anos. Uma realidade que faz parte da jornada da Samarco. O dia…

LEIA MAIS

IBRAM realiza pesquisa sobre o que o público gostaria de ver na próxima edição da EXPOSIBRAM

8 de outubro de 2018

O que você gostaria de sugerir para a próxima edição da  Expo & Congresso Brasileiro de Mineração (EXPOSIBRAM)? Considerada a principal vitrine…

LEIA MAIS