NOTÍCIAS

Usiminas é recomendada para certificação em nova norma da qualidade do setor automotivo

31 de julho de 2017

Companhia é uma das primeiras empresas brasileiras a obter a recomendação para a certificação na IATF 16949:2016

A Usiminas acaba de se tornar uma das primeiras empresas brasileiras – além de uma das siderúrgicas pioneiras no mundo – a obter a recomendação para a certificação na nova norma de gestão da qualidade para fornecedores do setor automotivo, a IATF 16949:2016. A conquista reforça o protagonismo da companhia no atendimento qualificado às demandas da exigente indústria automotiva, o que inclui também o desenvolvimento de soluções customizadas para o cliente.
 
A oficialização da recomendação aconteceu por meio de relatório enviado pela empresa Bureau Veritas Certification (BVC), em 13 de julho, à International Automotive Task Force (IATF), responsável pela certificação. O documento atende a uma solicitação de grande parte do setor automotivo mundial, que, para garantir o alto nível de qualidade, exige de seus fornecedores a certificação na norma. Desenvolvida pela IATF, ela estimula o desenvolvimento do mercado automotivo e é tida por muitos como um pré-requisito para se fazer negócios.
 
A extensa e abrangente auditoria que credenciou a Usiminas para a certificação foi realizada pela BVC entre 29 de maio e 23 de junho deste ano e cobriu os processos desenvolvidos na sede da companhia, em Belo Horizonte; nas usinas de Ipatinga e Cubatão; no Centro Empresarial do Aço (CEA), em São Paulo; no Porto de Vitória e Cubatão e nos Centros de Distribuição TESP, Utinga, Imbiruçu e Santa Luzia.
 
Eduardo Côrtes Sarmento, gerente-geral de Atendimento ao Cliente, Garantia da Qualidade e Produto da Usiminas, destaca o resultado conquistado pela empresa. “A Usiminas se coloca mais uma vez como pioneira nas certificações da Qualidade, graças à atualização de nosso Sistema de Gestão da Qualidade, colocando-o em linha com as mais recentes normas editadas no mundo. Chegamos à frente de muitas empresas, no Brasil e no mundo, e demonstramos nossa força de trabalho com capacidade para alcançar resultados importantes e inovadores”, comemora.
 
Além da auditoria, o projeto de certificação da Usiminas na nova norma envolveu um planejamento que incluiu o estudo da norma, o treinamento das equipes envolvidas, a identificação das lacunas existentes e das ações para eliminação de cada uma delas, por fim, o ciclo completo de auditorias internas e as correções necessárias.
 
Agilidade
 
A norma IATF 16949:2016, que substitui e anula a ISO/TS 16949:2009, antiga regra voltada para o setor automotivo, foi publicada em outubro do ano passado. A Usiminas não perdeu tempo e atualizou o seu Sistema de Gestão da Qualidade (SGQ) para atender às mudanças. Todas as organizações certificadas na antiga norma precisarão migrar para a nova versão até setembro de 2018. A empresa, portanto, está mais de um ano adiantada nesse projeto.
 
Na reunião de encerramento do processo de auditoria, o presidente da companhia, Sergio Leite, destacou a agilidade de toda a equipe. “É uma satisfação enorme celebrar esse resultado. A Usiminas possui 54 anos de operação e coloca a qualidade no atendimento ao cliente como prioridade desde a fundação da empresa”, destacou.
 
Cuidado no fornecimento
 
Em 2016, a Usiminas lançou quatro novos produtos para o segmento, alguns deles inéditos e exclusivos no país, em um esforço para produzir localmente aços de alto conteúdo tecnológico. Até o fim deste ano, a previsão é que outros dois produtos sejam lançados com foco nesse mercado.
 
Entre os diferenciais da Usiminas no atendimento ao setor automotivo – um dos principais mercados consumidores da indústria do aço – está o máximo rigor no desenvolvimento de produtos destinados a esse segmento, que tem a segurança dos veículos como premissa. A companhia desenvolveu o Processo de Segurança de Produto, com o objetivo de fornecer itens efetivamente seguros para a fabricação de peças críticas como longarinas, amortecedores, rodas, travessas, para-choques e tanques de combustível.
 
Uma das principais ferramentas utilizadas nesse processo é a FMEA (Análise de Modos de Falhas e Efeitos), em que o controle dos riscos identificados é feito por meio de robustos projetos de aços, direcionados especificamente para a segurança na aplicação do produto; pelo atendimento aos requisitos do processo de manufatura e pela avaliação da conformidade do material, utilizando amostragem diferenciada e critérios de aceitação mais rígidos.
Compartilhe:

LEIA TAMBÉM



MINÉRIO DE FERRO: Preço tem leve alta no mercado futuro

1 de novembro de 2017

O contrato mais negociado no mercado futuro de minério de ferro, na China, com vencimento em janeiro de 2018, passou de 428 para 429,5 iuanes, ou US$ 65,09 a tonelada, de acordo com o câmbio.

LEIA MAIS

Instituto Alcoa promove formação de professores em escolas públicas de Juruti

10 de setembro de 2018

Em busca de conhecimentos, experiências e avanços nas atividades escolares, cerca de 40 professores de escolas públicas de Juruti e…

LEIA MAIS

Tecnologia leva mais segurança aos caminhões fora de estrada

1 de outubro de 2018

O que um sistema que alerta os motoristas de caminhões fora de estrada sobre a presença de objetos no trajeto…

LEIA MAIS