NOTÍCIAS

No Brazil China Meeting, presidente do IBRAM apresenta panorama e perspectivas da mineração brasileira a investidores internacionais

11 de janeiro de 2024

Raul Jungmann acredita em incremento da parceria entre os dois países.

“Eu acredito que os próximos anos da relação entre Brasil e China serão intensos e com grandes oportunidades, pelo fato de o Brasil presidir o bloco econômico Brics, o G20, no Rio de Janeiro, e a Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas (COP30), em Belém”.

A afirmação foi feita pelo diretor-presidente do Instituto Brasileiro de Mineração (IBRAM), Raul Jungmann, ao participar nesta quarta-feira (10) do Brazil China Meeting. O evento ocorre na cidade chinesa de Shenzhen e segue até o próximo dia 13 de janeiro. Brics é um mecanismo internacional de cooperação econômica e desenvolvimento formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. Já o G20 é um bloco formado pelas maiores economias do mundo. O Rio de Janeiro irá sediar seu encontro em novembro e 2024.

Em sua apresentação, o presidente do IBRAM exibiu números que evidenciam o potencial transformador e o progresso socioeconômico que a indústria mineral proporciona à sociedade. “Em 2022, produzimos 1,4 bilhão de toneladas de minérios, exportamos US$ 41,7 bilhões e isso representa 40% do superávit brasileiro em exportações. Tivemos um faturamento de R$ 250 bilhões e atualmente mantemos mais de 201 mil empregos diretos e induzimos mais de 2,2 milhões de empregos indiretos. Nós somos, sem sombra de dúvidas, um dos três principais setores produtivos do Brasil. Com uma longa história com a China”, afirmou.

Raul Jungmann relatou o trabalho da indústria em evoluir para uma atividade ainda mais sustentável e proporcionar insumos para o futuro da humanidade com mais qualidade de vida. “Temos 91 tipologias minerais produzidas no nosso país e muitas delas são fundamentais para a transição a uma economia de baixo carbono em nível mundial”, pontuou.

No Brazil China Meeting, presidente do IBRAM apresenta panorama e perspectivas da mineração brasileira a investidores internacionais

Presidente do IBRAM, Raul Jungmann, no Brazil China Meeting – crédito: divulgação

Fundo para estimular a mineração – O presidente do IBRAM ainda anunciou que em parceria com a equipe do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), será lançado, no primeiro trimestre de 2024, um fundo para financiar a expansão da pesquisa mineral e o desenvolvimento de projetos na área mineração, o que interessa aos investidores internacionais. “Expandir a mineração abre caminho para o Brasil avançar e desenvolver soluções voltadas a combater os efeitos das mudanças climáticas. Estamos procurando investidores que queiram trabalhar conosco nesta fase inicial dos projetos”, disse.

Neste primeiro dia do Brazil China Meeting, também participou Kátia Abreu, ex-ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Para ela, essa relação entre os dois países mostrou muita resiliência e amadurecimento durante esses 50 anos. “Estamos falando de investimento, de importação e exportação. Nós precisamos, com maturidade, visando principalmente os interesses do Brasil, continuar nesta parceria procurando as sinergias importantes que possam refletir para os dois lados”, disse.

Também palestrante neste primeiro dia, Frederic Kachar, CEO da Editora Globo e do Sistema Globo de Rádio, falou que “Brasil e China promovem uma ocasião única de efemérides e oportunidades de negócios para ambos os países. Durante este evento, vamos debater como o comércio e os investimentos podem se multiplicar nos próximos anos, sem deixar de lado o compromisso e as oportunidades com as questões ambientais”.

João Doria, co-chairman do LIDE, ex-governador de São Paulo e ex-prefeito da capital paulista, destacou a importância dos debates para esta relação entre os dois países neste primeiro dia com temas que envolveram o agronegócio, as energias renováveis, a indústria automobilística, a mineração, entre outros. “As relações entre Brasil e China estão no seu melhor momento”, afirmou Doria.

Outros participantes do evento foram Li Jian, secretário executivo de Comércio da cidade chinesa de Tianjin; Dauter Oliveira, diretor-geral da Vale Ásia; Yang Jingnang, presidente executivo do grupo Avie BJ; Mario Ma, presidente da Hikvision Brasil; Patrick Bumett, presidente da Inovetech e do LIDE Inovação; Yin Xinglei, vice-presidente da Crec Internacional; Sun Tao, chairman da State Grid Brazil;  Likui Fang, presidente da CGN Brasil Energia; Wilson Lima, governador do Amazonas; Felício Ramuth,  vice-governador de São Paulo; Luis Felipe Arellano, secretário da Fazenda da capital paulista, entre outras personalidades.

Sobre o evento – O fórum é uma iniciativa LIDE e Valor, com apoio institucional de O Globo e CBN. O evento ocorre no ano que marca o cinquentenário das relações diplomáticas entre Brasil e China. A China é a principal importadora de minérios produzidos no Brasil.

 

Compartilhe:

LEIA TAMBÉM



IBRAM celebra 45 anos e concentra ações para transformar e renovar o setor mineral

8 de dezembro de 2021

Ao longo dessas últimas quatro décadas e meia, o Instituto Brasileiro de Mineração (IBRAM) expandiu suas ações focando-as em mais responsabilidade  com…

LEIA MAIS

Inscrições abertas para a 3ª edição da Diversibram

17 de janeiro de 2024

Evento será realizado em 19 de março, 100% online e gratuito.  Pelo terceiro ano consecutivo e pela primeira vez com…

LEIA MAIS

IBRAM realiza pesquisa sobre o que o público gostaria de ver na EXPOSIBRAM 2020

28 de outubro de 2019

O que você gostaria de sugerir para a próxima edição da  Expo & Congresso Brasileiro de Mineração (EXPOSIBRAM)? Considerada a…

LEIA MAIS