NOTÍCIAS

Vale considera prioritário projeto de potássio na Argentina

16 de julho de 2012

rnApós reavaliação, diretor afirma que tem recebido apoio do governo argentino e que obras estão em andamentorn rnCom planos de investir US$ 15 bilhões em fertilizantes até 2020, a Vale mantém com

rn

Após reavaliação, diretor afirma que tem recebido apoio do governo argentino e que obras estão em andamento

rn

 

rn

Com planos de investir US$ 15 bilhões em fertilizantes até 2020, a Vale mantém como prioridade o desenvolvimento do projeto de potássio Rio Colorado, na Argentina, que passou por uma reavaliação este ano. Em entrevista à Agência Estado, o diretor executivo de Fertilizantes e Carvão da mineradora, Roger Downey, garantiu que a empresa tem recebido apoio do governo argentino para tocar o projeto, orçado em US$ 5,9 bilhões.

rn

 

rn

“As obras estão a pleno vapor. Tenho encontrado com as autoridades locais e eles reforçam a cada reunião a importância do projeto para a economia argentina”, afirmou.

rn

 

rn

No final de abril, o presidente da Vale, Murilo Ferreira, informou que a continuidade do projeto estava sob reavaliação diante das incertezas na economia do país vizinho.Na ocasião, o governo argentino acabara de anunciar a expropriação de 51% de sua participação acionária na petrolífera YPF, controlada pela espanhola Repsol.

rn

 

rn

O cronograma da Vale prevê o início das operações na Argentina em 2014, com uma produção de 2,4 milhões de toneladas. Mas o empreendimento tem capacidade para atingir 4,3 milhões de toneladas em 2021.Downey conta que 20% das obras de engenharia do projeto já foram concluídas. “Temos no canteiro cerca de 5 mil pessoas trabalhando”, lembrou.

rn

 

rn

O executivo destacou que a Vale tem atualmente três grandes projetos em andamento, sendo Rio Colorado um deles. Por isso, seu desenvolvimento é considerado importante para o crescimento da mineradora.

rn

 

rn

“O foco hoje é o Rio Colorado. Ele oferece um retorno bom e se beneficia do crescimento do Brasil como produtor de alimentos”, disse. Atualmente, o Brasil é o quinto maior consumidor de fertilizantes do mundo, segundo o Ministério da Agricultura.

rn

 

rn

Além do Rio Colorado, a Vale aposta suas fichas no segmento de fertilizantes também no projeto de Carnalita no Sergipe e na expansão da mina de Bayóvar, no Peru.

rn

 

rn

Depois de uma longa negociação com a Petrobrás, que, segundo fontes, envolveu até a presidente da República, Dilma Rousseff, a Vale conseguiu fechar um acordo para arrendar por 30 anos a mina de Carnalita da estatal no Sergipe.

rn

 

rn

Produção. O cronograma prevê o início das operações para 2016, com uma produção de 1,2 milhões de toneladas. Mas, a mineradora já estuda a expansão do projeto. Atualmente, a Vale já produz potássio em Sergipe, em Taquari-Vassouras, mas, a mina deve se exaurir nos próximos anos.

rn

 

rn

Por isso, lembrou Downey, o contrato com a Petrobrás foi fundamental para os planos de expansão da companhia nesse segmento. Com os projetos Rio Colorado e Carnalita, a Vale acredita que atenderá 50% do consumo brasileiro de potássio.

rn

 

Fonte: Estadão

Compartilhe:

LEIA TAMBÉM



Produção de minério de ferro da BHP cai 4% no trimestre

20 de outubro de 2017

Os números levam em consideração o minério de ferro produzido pela BHP e em parcerias em joint ventures

LEIA MAIS

Programa de melhorias eleva produtividade e reduz custos operacionais

15 de outubro de 2018

Engajamento dos colaboradores, aumento da produtividade e otimização de custos. Esses são os diferenciais que a Imerys, detentora da maior…

LEIA MAIS

Mineração Usiminas adota nova tecnologia para dispor rejeitos

26 de junho de 2018

A Mineração Usiminas (Musa) protocolou na Superintendência Regional de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Supram) o pedido de licenciamento ambiental…

LEIA MAIS