NOTÍCIAS

Entrevista – EXPOSIBRAM: “O eixo temático mais importante desta edição é focado em reputação da indústria mineral”

13 de julho de 2017

O diretor de Assuntos Ambientais do IBRAM, Rinaldo Mancin, fala sobre as expectativas para a 17ª edição da EXPOSIBRAM e destaca os principais temas da programação do Congresso

A EXPOSIBRAM é um evento de grande importância que reúne vários nomes e entidades do setor mineral nacional e internacional. Quais são as suas expectativas para esta edição do evento?
 
A EXPOSIBRAM e o Congresso Brasileiro de Mineração são agendas que o IBRAM vem realizando há quase quatro décadas. São eventos consolidados e situados dentre os maiores do gênero no mundo mineral.
 
Atraem centenas de expositores de todo mundo, que vêm atrás de boas oportunidades de negócios aqui do Brasil. Da mesma forma, milhares de pessoas atendem ao Congresso de Mineração, que é um espaço tradicional de debate do presente e do futuro da indústria mineral brasileira. Grandes nomes nacionais e internacionais ligados ao setor estarão presentes.
 
Em relação às expectativas, queremos passar uma mensagem positiva da relevância do setor mineral e a sua capacidade de implantação de investimentos vultosos, que têm esses elevada capacidade de transformar as realidades locais, proporcionando a geração de empregos qualificados e de renda e expressiva, sem esquecer que os projetos da mineração empresarial são sempre desenvolvidos dentro de uma ótica moderna de sustentabilidade, com respeito às comunidades locais e sempre se buscando o uso consciente dos ativos ambientais, com a preocupação constante da gestão eficiente de riscos.
 
O evento, por todas as edições anteriores, se consolida como um dos mais importantes encontros internacionais dedicados à mineração e atividades ligadas ao setor. Para este ano, quais os principais destaques da programação?
 
Nesta edição de 2017 estamos apostando em múltiplos temas, alguns em parceria com entidades de referência nos temas. Destacaria:
 
a) O painel sobre Mineração e os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), em parceria com o PNUD e a Universidade de Columbia (NY);
 
b) O painel Barragens de Mineração – evolução da gestão de segurança, em aliança com a Universidade de British Columbia, de Vancouver, Canadá;
 
c) O painel Emergências e desastres: estratégias para a preparação e resposta voltadas ao setor de mineração, em parceria com o Centro Universitário de Estudos e Pesquisas sobre Desastres (CEPED), da Defesa Civil do Paraná;
 
d) Um talk-showsobre reputação da indústria mineral, com a participação de grandes nomes nacionais e internacionais.
 
Qual o eixo temático mais importante na edição 2017 da EXPOSIBRAM? Por quê?
O carro chefe é focado em reputação da indústria mineral. Será muito importante tratar o assunto durante o nosso congresso.  Refletir sobre a reputação da mineral será fundamental para buscarmos melhoria nos relacionamento com todos os stakeholders da mineração.  Convidaremos experts no tema bem como representantes das mineradoras para discutir o tema reputação do setor mineral.
 
Um Olhar sobre o Futuro da Mineração é o tema desta 17º edição do Congresso. Qual sua análise para os  próximos anos do setor mineral?
A sociedade precisa conhecer melhor a mineracão, especialmente da sociedade brasileira, e este é nosso maior desafio, ou seja, desmistificar o setor  torná-lo mais conhecido, aproximar a mineração das pessoas em seu dia-a-dia. São poucos os que percebem os minérios estão presentes em suas vidas, do despertar ao adormecer, do nascimento à morte. Um caso curioso é da economia verde, especialmente com o uso de carros elétricos, novas formas de geração de energia, como painéis solares, fotovoltaicos, a nova geração de baterias que vai mover o mundo e gerar poucas emissões de CO2. Poucos se dão conta que este futuro de energia limpa, ao contrário do que se pode pensar, vai demandar mais minérios, a atividade mineral precisará ser intensificada para atender à toda esta demanda e não reduzida.  A mineração é a base de todas as outras indústrias.  Somos a indústria das indústrias.  Sem os insumos da mineração é impossível produzir outros bens de consumo, inclusive a agricultura.
 
Para além deste ponto, o acesso a novos territórios minerais, o relacionamento com as comunidades, os conflitos no uso de recursos naturais, em suma, a “licença social para operar” está cada dia mais complexa, desafiadora e irá demandar das mineradoras mais criatividade, mais transparência, mais integração com a sociedade.
 
Pode-se dizer que eventos do porte da EXPOSIBRAM tenha potencial de levantar os ânimos do empresariado?
Sem dúvida alguma podemos afirmar isto. O nosso maior indicador é que o expositor que vem para a EXPOSIBRAM sempre avalia de forma muita positiva o evento e sempre quer voltar para expor na próxima edição.
 
Como já disse anteriormente, a EXPOSIBRAM é um dos maiores eventos mundiais do mundo da mineração. Assim todos aqueles que atuam na cadeia produtiva da mineração em seus olhos voltados para o evento brasileiro, pois as potencialidades minerais aqui no Brasil são imensas.
 
O Brasil tem um enorme potencial geológico. Como o país pode se tornar mais atraente para investidores no setor de mineração em todo o mundo? A EXPOSIBRAM pode ajudar neste sentido?
A segurança jurídica é elemento crucial para a atração de investimentos, pois em mineração esses são realizados sempre no longo prazo. Assim, ter a certeza de que as regras do jogo não vão mudar é fundamental. Contudo, ainda temos problemas com o licenciamento ambiental, pois em muitos casos seu timing não acompanha o tempo de implantação dos projetos, os cronogramas são furados e os custos do projeto acabam sendo elevados.
 
Outro ponto importante é a legislação trabalhista brasileira, uma das mais complexas do mundo e de elevados custos para as empresas. Cito à legislação aplicada à minas subterrâneas, que vem dos anos 1940 e não acompanhou a evolução em termos de segurança e ambiente de trabalho que foi vista nos últimos 70 anos. Uma evolução, rumo à sua desoneração e à flexibilização fariam bem ao país, ia permitir atrair mais investimentos.
 
A EXPOSIBRAM sempre foi o espaço de discussão de tais desafios. A classe política e empresários se encontram no evento e debatem de forma livre o panorama do setor e perspectivas. O evento sempre proporciona também um bom acesso à mídia nacional e internacional, de forma que as posições defendidas pelo setor mineral podem ser propagadas à sociedade facilmente.
 
Qual a principal mensagem que o senhor poderia deixar para os participantes desta edição  da EXPOSIBRAM?
Venham participar de um dos maiores eventos da indústria mineral no mundo. Vamos mostrar à sociedade a força da mineração brasileira!
Compartilhe:

LEIA TAMBÉM



Simpósio Brasileiro do Diamante desperta interesse internacional

1 de outubro de 2018

O 7º Simpósio Brasileiro de Geologia do Diamante, acontecerá em Salvador, na Bahia, e está atraindo palestrantes e representantes de…

LEIA MAIS

Vale anuncia a venda dos seus ativos de nitrogenados e fosfatado em Cubatão à Yara

21 de novembro de 2017

A Vale informa que celebrou um acordo de compra de cotas com Yara International ASA, empresa listada na Bolsa de…

LEIA MAIS

Royalty: mineradoras recolhem mais CFEM em 2018

5 de abril de 2018

A arrecadação da Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (CFEM), considerada o royalty da mineração, totalizou R$ 211 milhões no mês…

LEIA MAIS